Feliz aniversário, ciência!

Estadão

28 Maio 2010 | 08h06

Claro que a data exata do nascimento da ciência é desconhecida, mas gosto da sugestão do físico Robert L. Park, que comemora o 28 de maio. Neste dia, 2.595 anos atrás, uma batalha entre medos e lídios, onde hoje é a Turquia, foi interrompida por um eclipse do Sol — interpretado, por ambos os lados da refrega, como um sinal de desaprovação, pelos deuses, da carnificina.

O fato certamente tem apelo dramático — não é difícil imaginar o pessoal vestido mais ou menos como figurantes de 300 de Esparta (a batalha das Termópilas foi uns 100 anos mais tarde) parando de repente, cada guerreiro olhando para o céu e sentindo mais medo do que se passava lá em cima do que das lanças e espadas dos guerreiros do outro lado — mas sua importância pra a história da ciência é outro.

O eclipse de 28 de maio de 585 AEC (“Antes da Era Comum”; acho mais prático que “Antes de Cristo”; e, oras, o blog é meu) foi o primeiro a ser previsto; ou, ao menos, o primeiro cuja previsão foi registrada pela história.

Está em Heródoto, pode conferir.

O autor da previsão foi Tales de Mileto que, simbolicamente, pode ser considerado o primeiro cientista e, também, o primeiro filósofo (era o que Aristóteles dizia, ao menos).

Como se não bastasse a previsão, a ele também é atribuída a articulação do princípio básico da ciência: Todo fenômeno observável tem uma causa física. Ou, nas palavras de Sherlock Holmes: “O mundo é vasto o bastante para nós. Fantasmas são desnecessários”.

Abaixo, um mapa com os eclipses solares de cerca de 600 AEC, cortesia da Nasa:

SEatlas-0599