“Visão de mundo” das abelhas: olho artificial do inseto dá as coordenadas

Apesar de seu cérebro minúsculo, a abelha têm uma capacidade de navegação notável baseada em sua visão.

taniager

06 Agosto 2010 | 10h32

Crédito: cortesia do IOP Institute of Physics.

Crédito: cortesia do IOP Institute of Physics.

Apesar de seu cérebro minúsculo, a abelha têm uma capacidade de navegação notável baseada em sua visão. Com intuito de compreender esta grande habilidade, cientistas do Centro de Excelência de “Tecnologia de Interação Cognitiva” da Universidade de Bielefeld, Alemanha, desenvolveram um sistema de imagens “peso-leve” imitando o campo de visão deste inseto, que poderá mudar a forma como robôs móveis e pequenos veículos voadores são construídos. O artigo foi publicado hoje pelo Instituto de Física IOP.

O sistema funciona como um olho artificial completo. Ele permite mapear imagens de uma pequena câmera, fornecendo um campo contínuo de visão (FOV) de 2800, como o da abelha. Também, o modelo simula o mundo visual do ponto de vista do inseto em um ambiente virtual.   

O olho artificial consiste de uma combinação de lentes espelhadas leves acopladas a uma câmera de vídeo. Ao combinar uma superfície reflexiva curvada construída em acrílico com lentes cobrindo o campo frontal, a câmera é capaz de simular imagens do mundo como as abelhas o vêem. Desta forma, o sistema lança luz sobre as habilidades de sensoriamento complexo, processamento e navegação destes insetos.

Os pesquisadores esperam incluir UV para refletir a visão em cores, importante para as abelhas reconhecerem e discriminar as flores, bem como a visão polarizada que as orientam. Eles também esperam incorporar no sistema modelos de estágios subsequentes de processamento neural.