Ácido graxo inibe proteína que atua prevenindo a infecção da cólera

Pequena molécula natural pode tratar ou evitar a doença que é considerada ameaça à saúde global pela Organização Mundial de Saúde.

root

15 Fevereiro 2010 | 02h44

Bactéria em forma de bastonete se multiplica rapidamente no intestino humano produzindo uma potente toxina que provoca diarreia intensa.

Bactéria em forma de bastonete se multiplica rapidamente no intestino humano produzindo uma potente toxina que provoca diarreia intensa.

Pesquisadores da Dartmouth College descreveram a estrutura de uma proteína que controla a natureza viral do Vibrio cholerae, a bactéria que causa a cólera. Uma investigação detalhada revelou a presença de um ácido graxo que surge para inibir a proteína ToxT – prevenindo a infecção. A cólera causa diarreia aguda e pode ser fatal. Segundo a Organização Mundial da Saúde, ainda é uma séria ameaça à saúde global.

É de conhecimento dos médicos que a bile, encontrada no intestino, inibe a expressão de genes de virulência do V. cholerae, mas, até então, o mecanismo que regia o processo não havia sido compreendido completamente. O estudo em questão indica uma ligação direta entre o ambiente do intestino e a regulação dos genes virais, além de revelar a molécula reguladora.

“Encontrar um ácido graxo na estrutura foi uma grande surpresa”, diz F. Jon Kull, autor sênior do estudo. “O mais emocionante neste achado é que podemos ser capazes de usar uma pequena molécula natural para tratar ou evitar a cólera. Também vamos usar a estrutura do ácido graxo como um modelo para tentar criar uma pequena molécula inibidora de ToxT”.

Para a pesquisa, a equipe usou uma cristalografia de raios-X para determinar a estrutura do ToxT. O processo envolve exames de DNA do V. cholerae e o uso não-patogênico da bactéria E. coli para a produção de grandes quantidades da proteína-alvo: no caso, a Toxt. Então, a proteína foi concentrada e cristalizada após a purificação. Em seguida, o cristal – uma matriz ordenada de moléculas da proteína – foi submetido a uma poderosa radiografia. O padrão de difração dos raios-x foi recolhido em um detector e depois analisado utilizando algoritmos matemáticos, revelando assim a estrutura atômica das proteínas.

“Os resultados do estudo são emocionantes, tanto do ponto de vista mecanicista do complexo regulamento do V. cholerae, como da expressão de genes virulentos  e o potencial impacto médico”, observa Ronald Taylor, co-autor da pesquisa.

Vibrião da cólera

A cólera é uma doença causada pela infecção de uma bactéria em forma de bastonete (vibrião colérico) que se multiplica no intestino, produzindo uma toxina que provoca a diarreia aguda. Sua transmissão acontece pela ingestão de água contaminada ou fezes. Mais de 90% das pessoas infectadas não apresentam sintomas, embora 10% possam apresentar diarréias graves com evolução rápida para a desidratação e diminuição acentuada da pressão sanguínea.