Aquecimento global afetava povoados antes da Revolução Industrial

root

15 Janeiro 2010 | 18h26

Urso polar é garoto-propaganda na luta contra o aquecimento global.

Urso polar é garoto-propaganda na luta contra o aquecimento global.

O aquecimento global não é um fenômeno tão atual como se pensa. O início da transformação no clima ocorreu em períodos anteriores à Revolução Industrial (meados do século 18), segundo uma pesquisa do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen). O trabalho “Atividades humanas e mudanças climático-ambientais: uma relação inevitável”, desenvolvido pela advogada Aretha Sanchez, mostra que maias, mochicas, acádios e povos da Groenlândia já sentiram na pele os efeitos da mudança climática global.

Desmatamento, pesca, desenvolvimento da agricultura e poluição das águas foram causas determinantes para a modificação climática regional e, consequentemente, para a extinção de importantes povoados. Contudo, as intervenções no meio ambiente foram necessárias para o desenvolvimento humano.

Segundo dados da pesquisa, houve um aumento de até 4ºC na Europa e na América do Norte. Mesmo que o aumento da temperatura tenha sido regional, a autora do trabalho acredita que já se tratava de um “aquecimento global” em menor escala.

Para Aretha, atualmente os maiores problemas ambientais estão relacionados à desigualdade social: a falta de acesso ao conhecimento e conscientização ecológica atrelada às deficiências educacionais. É necessário, portanto, encontrar formas de manter o desenvolvimento sem causas danos ao meio ambiente. “Antigamente não havia consciência do que estava acontecendo e por que alguns povoados se extinguiram”, explica a advogada. “Hoje, há essa consciência e o aquecimento global e outras alterações ambientais. Por isso, precisamos procurar uma forma, seja por meio da Ciência ou da educação, que nos ajude a frear ou estabilizar as modificações climáticas”.