Bolas luminosas na atmosfera podem ser ilusões criadas pelo cérebro

Natureza de fenômenos estranhos que ocorrem durante as tempestades põe em cheque o conhecimento de muitos especialistas.

taniager

18 Maio 2010 | 15h57

A bola de fogo luminosa criada em laboratório, muito parecida com a bola luminosa, poderia explicar algumas das observações, mas ela tem uma vida muito curta. Crédito: cortesia da Universidade de Innsbruck.

A bola de fogo luminosa criada em laboratório, muito parecida com a bola luminosa, poderia explicar algumas das observações, mas ela tem uma vida muito curta. Crédito: cortesia da Universidade de Innsbruck.

Muitas pessoas já ouviram falar a respeito de bolas luminosas flutuando na atmosfera, algumas até viram, intrigando inclusive cientistas. Sabe-se que elas são fenômenos que ocorrem durante as tempestades, mas sua natureza põe em cheque o conhecimento dos mais entendidos na matéria.

Agora, físicos alemães descobriram que campos magnéticos de raios compridos podem produzir imagens das formas luminosas, também conhecidas como fosfenos, no cérebro.

A descoberta é o resultado de estudo realizado pelos físicos Josef Peer e Alexander Kendl da Universidade de Innsbruck. O estudo abordou os campos eletromagnéticos de diferentes tipos de relâmpagos que ocorrem durante as tempestades. A conclusão a que chegaram os físicos decorre de cálculos que mostram que os campos magnéticos, de uma classe específica de descargas luminosas repetitivas de longa duração, têm as mesmas propriedades que tem a estimulação magnética transcraniana (TMS). A TMS é uma técnica comumente usada na prática clínica e psiquiátrica para estimular a atividade neural no cérebro humano

O que isto quer dizer?

Segundo a avaliação dos cientistas, os campos magnéticos podem induzir sensações no cérebro. Tudo depende da variação do tempo e se os campos magnéticos são suficientemente fortes para induzir campos elétricos nos neurônios do córtex visual. Portanto, percepções visuais luminosas e aparentemente reais podem ser geradas por um raio próximo provocado por um relâmpago de longa duração. As percepções visuais luminosas podem ser percebidas pelo cérebro como imagens de bolas luminosas.

Diferentes tipos de bolas luminosas

O termo “bola luminosa” vem sendo utilizado para generalizar muitos fenômenos parecidos, mas que são de tipos diferentes na verdade.

Por esta razão, várias teorias foram propostas para tentar explicar a natureza destes fenômenos. Alguns físicos chegaram a produzir bolas de fogo em laboratório. Como elas tinham uma vida muito curta, não foi possível ir a fundo com as observações.

As explicações para outros tipos diferentes de bolas luminosas sugerem que elas sejam bolas luminosas de poeira, ou pequenas bolas de metal derretido, ou mais ainda, o fogo de Santelmo. Este último consiste em uma descarga eletroluminescente provocada pela ionização do ar dentro de um forte campo elétrico formado pelas descargas elétricas.

Veja também:

Cientistas suecos “fotografam” átomos durante fotossíntese
Físicos captam imagens de spins de elétrons em plena ação
Nanotubos de alta voltagem podem produzir “buracos negros”