Botox pode aliviar a dor de quem sofre com problemas de má postura

Desconforto ocasionado geralmente por má postura pode tornar atividades simples, como escovar os dentes, em um verdadeiro pesadelo.

root

10 Junho 2010 | 17h48

Síndrome do desfiladeiro torácico causa dor em pessoas durante movimentos de elevação dos braços.

Síndrome do desfiladeiro torácico causa dor em pessoas durante movimentos de elevação dos braços.

O Botox pode fazer a alegria da mulherada, mas também a de médicos e outros tipos de pacientes. Pesquisadores do centro Johns Hopkins, nos EUA, descobriram que a toxina não apenas deixa o rosto mais esticado como também alivia a dor de quem sofre da síndrome do desfiladeiro toráxico.

A síndrome do desfiladeiro toráxico é um quadro de desconforto que pode evoluir para uma dor significativa na região um pouco abaixo do pescoço. É causada pela compressão da artéria e da veia que vão para o membro superior, muitas vezes em função da postura inadequada do indivíduo, e chega a ocorrer em até 8% da população.

Os pesquisadores relataram que a injeção única de uma baixa dose de botox em um músculo localizado no pescoço pode ser uma solução eficiente contra a dor em curto prazo. Além disso, a equipe entende que o recurso é seguro e pode contornar o problema antes do último recurso utilizado: uma cirurgia para remover a primeira costela e cortar um dos músculos do pescoço.

A avaliação de 27 pacientes, candidatos à intervenção cirúrgica, mostra que em três meses a dor diminuiu em quase 30%. “Esta quantidade modesta na redução da dor pode ter um impacto significativo na vida do paciente”, explica Paul J. Christo, principal autor do estudo. “Para muitos, é o suficiente para fazer o que eles não podiam fazer antes, como pentear os cabelos, escovar os dentes, segurar seus filhos”.

O Botox alivia temporariamente a dor porque sua função paralisante diminui a tensão e os espasmos musculares – aliviando a pressão sobre os nervos. A droga também pode atuar reduzindo o número de neurotransmissores que avisam o cérebro sobre a dor. Um problema levantado pelos pesquisadores é que a terapia pode se tornar ineficaz ao longo do tempo, já que o corpo se acostuma com a droga desenvolvendo anticorpos contra a toxina.

Veja também:

NÃO corra: homem foi feito para economizar energia quando caminha
Cientistas desvendam mecanismo relacionado aos tremores nas mãos
Medicação triplica efeitos analgésicos da acupuntura em testes com ratos
Imobilização pode agravar risco em vítimas de bala ou esfaqueamento