Efeito duplo: morfina também pode inibir crescimento de tumores

Usada como analgésico forte em pacientes com câncer, pode também obstruir novos vasos sanguíneos que alimentam um tumor.

root

28 Julho 2010 | 12h34

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Minnesota, nos EUA, que será publicada na edição de agosto do American Journal of Pathology mostra que a morfina, usada como tratamento paliativo em pacientes terminais de câncer, pode obstruir novos vasos sanguíneos que alimentam um tumor. O crescimento de vasos é uma das formas que o câncer se estabelece no corpo e se espalha para outros órgãos e tecidos.

A equipe submeteu ratos com carcinoma de pulmão a doses de morfina, descobrindo que o uso crônico do analgésico diminui os níveis de angiogênese (crescimento de vasos sanguíneos) do tumor. Este efeito foi mediado pela supressão da sinalização induzida por baixas concentrações de oxigênio, levando a uma redução dos níveis de fatores pró-angiogênicos.

Os pesquisadores afirmam que a morfina, mais do que um analgésico potente, é um inibidor potencial do crescimento do tumor. O trabalho publicado como “Morphine supresses tumor angiogenesis through a HIF1a/p38MAPK pathway” foi coordenado por Sabita Roy.

Veja também:

Veneno forte pode também atuar como remédio para leucemia
Pesquisadores usam escorpião brasileiro para entender pancreatite
Adesivos com microagulhas poderão substituir injeções
Medicação triplica efeitos analgésicos da acupuntura em testes com ratos

Leia mais sobre: câncer.