Descoberta causa da Síndrome de Sézary até então inexplicável

Perda de fator de transcrição de gene regulador em certo linfoma cutâneo primário agressivo explica raro câncer de pele.

taniager

02 Agosto 2011 | 15h17

Foto de um homem com 61 anos que apresentou pruridos duraram seis meses. A imagem à direita mostra as células neoplásticas T (células de Sézary) de seu sangue periférico.  Crédito: Wikipédia.

Foto de um homem com 61 anos que apresentou pruridos duraram seis meses. A imagem à direita mostra as células neoplásticas T (células de Sézary) de seu sangue periférico. Crédito: Wikipédia.

Equipe formada por pesquisadores da Universidade de Medicina de Berlin Charité, Alemanha, e mais seis institutos alemães renomados,tiveram êxito em comprovar a perda de um fator de transcrição em gene específico de certo linfoma cutâneo primário agressivo, que poderia explicar a origem da Síndrome de Sézary, até então desconhecida. Os resultados, relatados no artigo “Genomic loss of the putative tumor suppressor gene E2A in human lymphoma” publicado no Journal of Experimental Medicine recentemente, fornecem novas pistas sobre a origem e desenvolvimento desta síndrome e possivelmente outros linfomas humanos.

A Síndrome de Sézary maligna é caracterizada pela reprodução de um tipo especial de células brancas do sangue na pele de pacientes masculinos e femininos. Em contraste com a maioria dos outros linfomas de pele, pacientes com esta síndrome manifestam não apenas a contaminação da pele, mas também a contaminação do sangue e dos gânglios linfáticos por células T degeneradas, mesmo no início da doença.

Os pesquisadores investigaram células tumorais extremamente purificadas de pacientes com Síndrome de Sézary usando procedimentos genéticos modernos de alta resolução – técnica de Hibridação Genômica Comparativa (CGH) por matriz – para investigar as mudanças genéticas desconhecidas. Assim, puderam identificar que faltavam algumas partes no genótipo dessas células de tumor em muitos dos pacientes examinados. Uma análise detalhada destas áreas mostrou que um dos códigos genéticos, mais frequentemente afetado, era um fator de transcrição. Fatores de transcrição têm funções importantes na regulação da atividade do gene celular.

Chalid Assaf, membro da equipe e da Clínica Charité de Dermatologia, Venereologia e Alergologia, explica que a perda parcial do fator de transcrição E2A do gene parece desempenhar um papel chave neste contexto, pois o gene é muito importante para o desenvolvimento natural do linfócito. Em ratos, a perda neste gene leva à origem do linfoma agressivo de células T. Entretanto, uma perda no gene em uma das várias classes de linfoma humano ainda não havia sido detectada.

A equipe também identificou vários genes reguladores de E2A e padrões de sinalização em células tumorais; a mera desregulamentação em um deles é suficiente para permitir que um tumor possa ser desenvolvido. Enfim, foi comprovado pela primeira vez que o E2A em seres humanos tem a função de supressor de tumor. Os pesquisadores esperam que esta descoberta possa representar a base para o desenvolvimento de novos conceitos de tratamentos para pacientes com Síndrome de Sézary e de terapias mais eficazes no futuro.