Cientistas criam buraco negro que "engole" som

Buracos negros absorvem toda a luz ao redor. Agora, cientistas criaram um análogo de buraco negro que, em vez de luz, o sistema absorve som.

root

10 Janeiro 2011 | 12h22

Buracos negros absorvem toda a luz ao redor, e são tão densos que nada pode escapar desta “atração”. Agora, cientistas do Instituto de Tecnologia Technion-Haiffa, em Israel, criaram um análogo de buraco negro, mas sonoro: em vez de ondas de luz, o sistema absorve som. O experimento poderá ajudar os pesquisadores a estudaram a radiação indescritível de Hawking (radiação térmica que se acredita ser emitida por buracos negros devido a efeitos quânticos e que poderia fazer com que eles perdessem massa).

A equipe criou o buraco negro “sônico” em um condensado de Bose-Einstein de 100 mil átomos de rubídio em que seu estado quântico foi manipulado por meio de uma armadilha magnética. Este aglomerado de átomos frios age como um único e enorme objeto quântico. Para transformá-lo em um buraco negro, os pesquisadores precisaram achar uma forma de acelerar alguns dos condensados de velocidades supersônicas. Isso foi conseguido brilhando um laser de grande diâmetro no condensado.

De acordo com a equipe, a maior importância do trabalho até agora é que eles conseguiram superar a velocidade crítica de Landau, que dita que o fluxo não pode exceder a velocidade do som. Isso foi possível por um período limitado de tempo (20 milésimos de segundo antes de se tornar instável), mas é capaz de abrir muitas portas para o entendimento de diversos fenômenos da física.