Cigarro livre de nicotina e tabaco pode ser mais cancerígeno

"Cigarros seguros" causam mais danos ao DNA do que produtos com tabaco ou nicotina, mostrando que o caminho é se livrar do vício.

root

12 Maio 2010 | 17h47

Fumaça de cigarros livres de nicotina ou tabaco podem causar danos mais extensos ao DNA.

Fumaça de cigarros livres de nicotina ou tabaco podem causar danos mais extensos ao DNA.

Cigarros livres de nicotina e tabaco causam mais estragos no organismo do que os normais. De acordo com um estudo realizado pela New York Medical College, nos EUA, os cigarros ditos seguros causam mais danos ao DNA que produtos de tabaco. Ou seja: são até mais cancerígenos.

Para a pesquisa, a equipe liderada por Zbigniew Darzynkiewicz usou a técnica de citometria de luxo por varredura de laser para medir os danos dos diferentes cigarros no DNA. Ficaram surpresos ao observar que a exposição de células à fumaça dos cigarros livres de nicotina e tabaco leva à quebra de dupla fita de DNA, o que pode levar ao câncer.

Cigarros nem tão seguros

A onda já começou há alguns anos. Em 1995, uma empresa britânica anunciou o lançamento de um “cigarro seguro”, que reduziria os riscos associados ao tabagismo – como o câncer e ataques cardíacos – em até 90%. O produto não estaria livre do tabaco, mas usaria um tipo de tabaco tratado para produzir níveis baixos de químicas cancerígenas. Um tipo especial de filtro também removeria as toxinas restantes.

Conforme os governos passaram a implantar medidas para conter o tabagismo no mundo, as empresas de cigarro passaram a financiar pesquisas para o desenvolvimento de cigarros que tivessem quase o mesmo sabor – mas sem substâncias tóxicas. Além disso, muitas marcas prometem acabar com o vício, pelo consumo de cigarros sem nicotina.

Veja também:

Fumo leva ao rápido e progressivo endurecimento de artérias
Reação entre nicotina e ácido nitroso é o maior perigo do fumo passivo
Parar de fumar aumenta fator de risco para diabetes 2 nos primeiros anos