Circuncisão é mais segura quando realizada em menores de um ano

Revisão sistemática de 52 estudos conclui que circuncisão neonatal e infantil por equipe treinada raramente resulta em problemas.

root

18 Fevereiro 2010 | 12h57

Circuncisão é mais segura quando realizada em crianças menores de um ano.

Circuncisão é mais segura quando realizada em crianças menores de um ano.

Quão segura é uma circuncisão? Uma revisão sistemática concluiu que a circuncisão neonatal e infantil por funcionários treinados raramente resulta em problemas. Os riscos podem ser maiores entre meninos mais velhos, em especial quando realizadas por médicos treinados, mas com equipamentos inadequados.

Helen Weiss, da London School of Hygiene & Tropical Medicine, no Reino Unido, levou em consideração a literatura médica relativa ao assunto. “Identificamos 52 estudos de 21 países que têm informações suficientes para estimar a frequência de eventos adversos pós-neonatal, infantil e circuncisão infantil. Isso constitui uma revisão sistemática da literatura sobre as complicações associadas ao procedimento nos primeiros anos de vida”.

Em crianças com idade inferior a um ano de idade, a frequência de eventos adversos – como sangramento excessivo, inchaço e infecção – foi baixa; graves complicações são muito raras. Circuncisões em maiores de um ano tendem a resultar em mais complicações, embora ainda seja rara a ocorrência de eventos adversos graves. No entanto, problemas sérios resultantes do procedimento foram observados quando a cirurgia foi realizada por profissionais inexperientes, ou com equipamentos e suprimentos inadequados.

“A circuncisão é comumente praticada e continuará a ocorrer por razões religiosas, culturais e médicas”, aponta Weiss. “Existe uma clara necessidade de melhorar a segurança do procedimento em todas as idades por meio de uma formação melhor, ou requalificação profissional para profissionais da saúde, assegurando o fornecimento de equipamentos e suprimentos adequados para uma circuncisão segura”.

O que é circuncisão

A circuncisão é um procedimento cirúrgico para a retirada do prepúcio, prega cutênea (da pele) que recobre a glande (extremidade) do pênis. Esta prática é realizada há pelo menos 5 mil anos e mais de 30% dos homens no mundo já se submeteram a esta cirurgia, principalmente por motivos religiosos entre judeus e muçulmanos. Em alguns casos, a circuncisão é feita nos casos de fimose, em que a pele recobre totalmente a glande, impedindo a correta higienização do local.

Veja também:

Peso ao nascer tem diminuido nos últimos 15 anos nos EUA
Capacidades de cognição permanecem inalteradas em grávidas e mães
Crianças com paralisia receberão injeções de células-tronco no cérebro
Relação entre idade avançada da grávida e risco de autismo é confirmada