Estrogênio elevado pode tornar macho de cobra tão atrativo para outros machos quanto uma fêmea

Estrogênio elevado pode tornar macho de cobra tão atrativo para outros machos quanto uma fêmea

Da redação

10 Fevereiro 2012 | 16h52

Crédito: Divulgação/ Oregon State University
Os hormônios podem mesmo ter um papel muito importante no comportamento. Um novo estudo realizado pela Universidade Estadual do Oregon, nos EUA, mostra que a ala masculina das cobras pode se tornar tão ‘sexy’ quanto a das fêmeas se os níveis de estrogênio forem aumentados. A explicação estaria na secreção de feromônios, substâncias químicas que permitem o reconhecimento do status sexual por indivíduos de uma mesma espécie.

Para avaliar como os machos de cobras se comportavam após o aumento dos níveis do hormônio, os cientistas implantaram nos animais uma cápsula responsável por elevar o estrogênio no organismo no mesmo nível encontrado em uma fêmea. Após um ano, eles exalavam um feromônio que atraía outros machos. Resultado: os animais se contorciam exatamente como em um ritual de acasalamento. Ao retirar o suplemento, os animais passaram a se comportar como antes.

O experimento, realizado com cobras de Manitoba, no Canadá, é um dos primeiros a quantificar os efeitos do estrogênio como estimulador de feromônios. Um artigo sobre o assunto foi publicado no periódico científico especializado Journal of Experimental Biology. A pesquisa é importante porque o estrogênio está presente em muitas espécies, dentre elas o ser humano, e diversas substâncias (como alguns pesticidas presentes em águas poluídas) podem simular os efeitos do hormônio no organismo.

Veja também:

Para eles, mulheres que falam alto são menos confiáveis
Redução da terapia hormonal está relacionada a menos risco de câncer de mama