Sonolência diurna e falta de atenção podem indicar Alzheimer

root

19 Janeiro 2010 | 22h31

Pessoas mais velhas que estão desenvolvendo o Mal de Alzheimer têm mais probabilidade de sofrer de problemas de cognição flutuante ou episódios de perda de memória temporária do que pessoas saudáveis. Até então, a cognição flutuante – termo que caracteriza a sonolência diurna excessiva, falta de atenção e pensamento ilógico, geralmente associados à Demência com Corpos de Lewy – raramente era relacionada ao Alzheimer. Mas o novo estudo mostra que, talvez, médicos devam incluir estes sintomas para o diagnóstico do mais comum tipo de demência no mundo.

Idosos com Alzheimer têm mais chances de apresentar também a cognição flutuante.

Idosos com Alzheimer têm mais chances de apresentar também a cognição flutuante.

O estudo da Washington University em St. Louis analisou 511 idosos com problemas de memória. Testes padrão de pensamento e habilidade de memória foram aplicados e entrevistas com participantes e um membro da família, verificação de sonolência diurna prolongada, sonolência ou letargia, pensamentos desorganizados, momentos de observação fixa para o nada por longos períodos foram verificados.

Dos participantes, 12% tiveram pelo menos três dos sintomas mencionados, caracterizando a cognição flutuante. Aqueles com lapsos mentais tinham 4,6 vezes mais probabilidade de serem diagnosticados com Alzheimer. De 216 com diagnóstico de demência leve ou mais leve, 25 tinham lapsos mentais; dos 295 sem demência, apenas dois tiveram lapsos mentais. Além disso, os participantes com lapsos mentais tiveram um desempenho pior em testes de memória e raciocínio.

DCL, Corpos de Lewy e Alzheimer

Estudos anteriores associavam cognição flutuante com outro tipo de demência, a Demência de Corpos de Lewy (DCL), mas até então pouco se sabe sobre possíveis ligações do desvio com o Alzheimer.

A DCL é caracterizada principalmente por cognição flutuante, perda de memória, desorientação e dificuldades de comunicação associadas com a doença de Alzheimer e desordem de movimento (como no Mal de Parkinson) e é causada pelo acúmulo de grande quantidade de substâncias chamadas “corpos de Lewy” – depósitos da proteína alfa-sinucleína – no córtex cerebral. Também são comuns as alucinações visuais e movimentos rápidos dos olhos e distúrbios de sono.

O Alzheimer, maior causa de demência no mundo, apresenta uma atrofia generalizada do cérebro com perda neuronal , causando sintomas parecidos com a DCL. Embora possa ser identificada pela presença de placas de beta-amiloide, não manifesta sintomas do Mal de Parkinson.