Coluna de Psicologia – Projeção, o mecanismo psíquico inconsciente nas paixões e no ódio

Psicóloga Regiane Canoso explica processo responsável por grandes paixões, ódios, supervalorizações, desvalorizações, encantamentos e fascinação que o homem e a mulher assumem aos olhos dos outros.

root

06 Agosto 2010 | 10h05

Caros leitores, conhecer a anima e o animus não é tarefa fácil. Por conta disso, neste texto vou falar um pouco da projeção. Penso ser importante para que vocês possam entender e interagir melhor com assunto.

A Anima e o Animus são fatores psíquicos existentes dentro de cada indivíduo que geralmente são projetados, e a projeção é um mecanismo psíquico inconsciente – ocorre sempre que um aspecto vital da personalidade não conhecido é ativado.

A projeção é responsável por grandes paixões, ódios, supervalorizações, desvalorizações, fascinação e encantamento que o homem e a mulher assumirão um aos olhos do outro.

Geralmente o homem projeta a anima na mulher levando para essa mulher a imagem viva do seu próprio espírito; em contrapartida, a mulher projeta o animus no homem carregando para o homem a imagem viva da alma ou do seu lado feminino. A projeção pode ser entendida como um espelho, importante para o autoconhecimento, em que o indivíduo pode ver os reflexos dos seus conteúdos psíquicos.

Essas imagens psíquicas projetadas constituem o que venho chamando de os “Parceiros Invisíveis” existente em todo relacionamento homem-mulher. A projeção, em si, não é boa nem má. O que o indivíduo faz com ela é o que deve ser levado em conta.

Sendo assim, a projeção da anima e do animus é um evento natural que sempre há de ocorrer. Ambos estão despertos na psique e nunca serão tão bem conhecidos que não se projetem sobre o sexo oposto. Através da projeção a anima e o animus tornam-se visíveis e surge, então, uma nova oportunidade de conhecimento interior.

O verdadeiro encontro humano entre dois indivíduos, só poderá ocorrer quando um conhecer o outro livre de projeções, aceitando-o em suas diferenças e em sua totalidade como um indivíduo real. Com isso, “o relacionamento se dá num nível adulto, existindo maturidade de personalidade, permitindo que cada um assuma a personalidade por seu próprio destino e felicidade”.

No caso de tanto o homem quanto a mulher projetarem suas imagens positivas um sobre o outro simultaneamente, tem-se aquele estado, aparentemente perfeito, de relacionamento conhecido como paixão: um estado de fascinação recíproca.

Observa-se neste diagrama que a linha A representa um relacionamento em nível consciente entre as personalidades do ego do homem e da mulher. No entanto, existe também uma forte atração entre os dois, representada pelas linhas B e B’, que constitui o resultado das imagens projetadas da anima e animus positivos. No entanto, o fator mais poderoso é a linha C, que representa a atração verificada através do inconsciente. Neste nível é como se o animus da mulher e a anima do homem estivessem apaixonados um pelo outro e aí reside o laço, o forte impulso de um para o outro, fonte do magnetismo do estado de apaixonados.

Esta é uma experiência importante porque aproxima o sexo e inicia o relacionamento. Todo individuo necessita de um desenvolvimento particular seu, porém, isso não invalida seu relacionamento com outros indivíduos. Somente seres separados podem relacionar-se.

Jung certa vez citou um alquimista medieval que disse: “Só o que está separado pode ser devidamente unido”. Isto quer dizer que, quando duas coisas estão misturadas de forma confusa, elas precisam ser desembaraçadas, separadas e identificadas, para que mais tarde possam ser reunidas numa síntese proveitosa.

É isso aí: conhecer a anima e o animus realmente não é fácil, vamos nós de novo percorrer mais um pouquinho esse caminho, cheio de encantos, medos, dúvidas, questionamentos, envolvimentos, buscas e por que não magia…

Próximo texto: anima corresponde ao Eros materno, assim como o animus ao Logos paterno. Parece complicado, mas o objetivo é que cada um de vocês, com o desenrolar do assunto, possa entender o que de importante vai ficar enquanto leitura e ensinamento e crescimento. Até breve…

Veja também:

Psicóloga Regiane Canoso estreia coluna quinzenal no Ciência Diária
Relacionamento entre masculino e feminino: arquétipos, relação entre homens e mulheres e seres “andróginos”
– Aspectos psicossociais e psíquicos da constituição do masculino e do feminino no desejo por filhos
União, compromisso e cumplicidade entre anima e animusrcanoso@cienciadiaria.com.br.

Regiane Canoso é psicóloga e estreia sua coluna quinzenal no Ciência Diária a partir de hoje.Regiane L. C. Lopes é psicóloga, especializada em psicologia junguiana e psicologia hospitalar. Assina esta coluna quinzenalmente. Caso tenha sugestões, críticas ou perguntas, mande um e-mail para