Computadores de película mostram futuro maleável para smartphones

O primeiro computador de papel interativo irá revolucionar o mundo da computação interativa.

taniager

04 Maio 2011 | 16h11

O primeiro computador de papel interativo irá revolucionar o mundo da computação interativa. Crédito: Laboratório de Mídia Humana da Universidade de Queen, Canadá.

O primeiro computador de papel interativo irá revolucionar o mundo da computação interativa. Crédito: Laboratório de Mídia Humana da Universidade de Queen, Canadá.

Quando surgiu a era digital muitos acreditaram em seu potencial de eliminar grande parte do consumo de papel, o que viria a contribuir com a política ambientalista. No entanto, décadas se passaram e a quantidade da papelada só fez aumentar. Agora, uma nova e incrível proposta de pesquisadores da Universidade de Queen, Canadá, poderia reduzir, de uma vez por todas, o dispêndio do precioso material. Trata-se de um novo computador feito de película finíssima que mostra um futuro flexível para smartphones e “tablets”. O criador da inovação é Roel Vertegaal, diretor do Laboratório de Mídia Humana da universidade e sua equipe.

Segundo Vertegaal, o período de cinco a dez anos seria suficiente para transformar os smartphones atuais em dispositivos obsoletos.  O novo computador se parece com uma folha de papel interativa: o indivíduo pode interagir como em um celular ao flexionar a folha, ou virar a página ao inverter o canto e ainda escrever nela com uma caneta.

O protótipo do smartphone, chamado PaperPhone, é melhor descrito como um iPhone flexível – ele faz tudo o que faz um smartphone, como armazenar livros, tocar música ou fazer chamadas telefônicas. Mas seu visor consiste em uma tela de papel “E Ink” – papel eletrônico criado no MIT – de fina película flexível com 9,5 cm de diagonal. A forma flexível da tela o torna muito mais portátil que qualquer computador móvel atual: pode ser acomodado em um bolso.

Foto mostrando um Snaplet. Crédito: Laboratório de Mídia Humana da Universidade de Queen, Canadá.

Foto mostrando um Snaplet. Crédito: Laboratório de Mídia Humana da Universidade de Queen, Canadá.

“O escritório sem papel está aqui. Tudo pode ser armazenado digitalmente e você pode colocar esses computadores em cima uns dos outros, como uma pilha de papéis, ou jogá-los em torno da mesa”, diz Vertegaal.

Vertegaal e sua equipe estarão desvendando seu computador de papel em 10 de maio às 14h na Conferência CHI 2011 (Computer Human Interaction) da Associação de Maquinaria de Computação em Vancouver — Conferência Internacional de interação homem-computador. Um artigo sobre um estudo de uso interativo de flexão com computadores de película flexível será publicado nesta conferência, onde o grupo também estará demonstrando um computador flexível de pulso chamado Snaplet.