Álcool na gravidez aumenta risco de leucemia mieloide aguda

Probabilidade do filho desenvolver a doença até os quatro anos de idade pode aumentar até 56%. Consumo ainda é alto em países frios.

root

07 Maio 2010 | 11h55

Consumo de álcool entre grávidas chega a 60% na Rússia. Risco de leucemia mieloide aguda aumenta mais de 50% nas crianças até os quatro anos.

Consumo de álcool entre grávidas chega a 60% na Rússia. Risco de leucemia mieloide aguda aumenta mais de 50% nas crianças até os quatro anos.

Uma alerta para gestantes: o consumo de álcool durante a gravidez pode aumentar até 56% as chances de a criança desenvolver leucemia mieloide aguda (LMA) até os quatro anos de idade. Embora campanhas apontem para problemas associados, a ingestão de bebidas alcoólicas é ainda alta entre grávidas.

De acordo com Paule Latino-Martel, responsável pelo estudo publicado no Cancer Epidemiology, Biomarkes & Prevention, do jornal da Associação Americana para Pesquisas sobre o Câncer, os dados devem reforçar os esforços e recomendações de planos de saúde pública contra o consumo do álcool na gravidez.

“Apesar da recomendação atual de que mulheres grávidas não devam beber álcool durante a gravidez, o consumo de bebida é de 12% nos EUA, 30% na Suécia, 52% na França, 59% em Portugal e 60% na Rússia”, diz Martel.

Veja também:

Descoberta mutação responsável por casos de leucemia mieloide aguda
Decitabina pode atuar contra leucemia mieloide aguda em idosos
Fetos do sexo masculino respondem de forma diferente ao estresse
Drogas contra o influenza parecem ser seguras em gestantes e bebês
Mães com menos de 1,5 m tiveram risco 40% maior de perder filhos
Consumo de álcool na adolescência aumenta risco de câncer de mama
Exposição ao bisfenol A pode desencadear problemas de fertilidade