Consumo de peixe pode ter aumentado o cérebro de hominídeos

Uma dieta variada pode ter induzido o aumento do órgão e das habilidades que permitiram aos primeiros homens conquistarem novas terras.

root

01 Junho 2010 | 12h40

Pesquisa mostra que consumo de peixes pode ter forte associação com a evolução do cérebro nos hominídeos.

Pesquisa mostra que consumo de peixes pode ter forte associação com a evolução do cérebro nos hominídeos.

O consumo de peixe sempre esteve associado a benefícios ao cérebro. Agora, um grupo de internacional de pesquisadores está defendendo a ideia de que foi justamente uma mudança nos hábitos alimentares dos nossos antigos ancestrais que permitiu a evolução da nossa massa cinzenta. Há quase dois milhões de anos, os primeiros seres humanos passaram a comer tartarugas, crocodilos e peixes – dieta que pode ter impulsionado tanto a inteligência quanto a busca por novas terras além da África.

A prova disso estaria na grande quantidade de objetos cortantes e pedaços de animais encontrada ao norte do Quênia. “Esta parte da África é a primeira evidência que os primeiros seres humanos estavam comendo uma dieta extremamente variada”, diz Andy Herries, da Universidade de New South Wales, único pesquisador australiano que trabalhou com a equipe.

Os pesquisadores encontraram evidência de que os primeiros seres humanos comiam peixes de água doce e animais terrestres ao norte do vale do Rift. “A descoberta é importante porque os peixes em particular têm sido associados ao desenvolvimento do cérebro, e é depois desse período que vemos hominídeos com cérebros menores evoluírem para cérebros do tipo Homo sapiens e Homo erectus – o primeiro a deixar a África”, explica Herries.

Veja também:

Nova espécie de ancestral humano é identificada por antropólogos
Estudo revela que homens modernos cruzaram com neandertais
Pesquisadores identificam novo ancestral direto do Homo erectus
Genoma de homem extinto é sequenciado em detalhes
Tamanho do Homo floresiensis pode mesmo ser resultado de seleção natural