Desenvolvida rápida bateria de testes para pacientes com Down

Exercícios baseados em computador não dependem de idioma e podem indicar a trajetória de desenvolvimento destes indivíduos.

root

26 Agosto 2010 | 11h44

Neurocientistas da Universidadade do Arizona, Emory e Johns Hopkins, nos EUA, criaram uma série de testes que ajuda a avaliar as habilidades cognitivas de pessoas com síndrome de Down. A bateria de exercícios de computador – não dependente do idioma – pode indicar a trajetória de desenvolvimento destes pacientes, bem como levar ao desenvolvimento de novos medicamentos e intervenções comportamentais.

O teste, portátil, pode ser feito em cerca de duas horas. “No passado, quando íamos avaliar a cognição da síndrome de Down, levaríamos vários dias”, diz Jamie Edgin, membro do departamento de psicologia da UA e envolvido no trabalho. “Isso é muito compacto e prático”.

O que é a síndrome de Down

A síndrome de Down é um distúrbio genético causado pela presença de um cromossomo 21 extra, causando problemas moderados ou severos no desenvolvimento, problemas de saúde (especialmente defeitos cardíacos) e o início precoce de Alzheimer.

Três partes do cérebro são particularmente afetadas: o córtex pré-frontal, o hipocampo e o cerebelo. As deficiências em cada região variam de acordo com a severidade da síndrome; a identificação destas atividades poderia facilitar o trabalho de médicos reforçando terapias específicas conforme o indivíduo.

Desenhando o perfil

O teste possibilita desenhar com mais precisão o perfil de cada paciente com síndrom de Down. “Você pode ter um garoto que é fraco em uma área, mas forte na outra”, explica Lynn Nadel, responsável pelo grupo de pesquisa. “O perfil vai variar de pessoa para pessoa. A bateria nos dará um auxílio na compreensão desse perfil para que você possa ser capaz de orientar uma intervenção de uma forma específica para uma determinada pessoa”.

Nadel afirma que a ferramenta também poderia ser usada para avaliar o resultado de intervenções, inclusive em ensaios clínicos. “Nosso foco aqui na Universidade do Arizona foi o desenvolvimento dessa bateria. Outros estão fazendo trabalhos com modelos animais, ensaios clínicos e trabalho com medicamentos”, ressalta. “Mas a bateria de testes neuropsicológicos que vai ser o coração de qualquer ensaio clínico é o que nós fizemos”.

O teste

A bateria é um conjunto de testes computadorizados projetados principalmente para adolescentes. Testes de memória, testes motores e testes de atenção são direcionados para as regiões cerebrais que estão em risco na síndrome de Down.

O projeto deve ser expandido para outras áreas de estudo. Um deles, focando no sono desordenado e fragmentado, que pode atuar no desempenho cognitivo de pacientes com síndrome de Down.

Veja também:

Redução de beta-amiloide melhora aprendizagem em ratos com Down
Proteína “do x frágil” altera sinais do cérebro essenciais ao aprendizado
Pesquisadores lançam nova teoria para a síndrome de Down