Encontrada chave que abre a porta para tratamento do Alzheimer e AVC

Cientistas descobriram como "barreira hematoencefálica" (BBB) é controlada para permitir entrada de substâncias no cérebro.

taniager

14 Outubro 2010 | 16h09

Dr. Christer Betsholtz, professor de biologia vascular no Departamento de Bioquímica do Instituto Karolinska e responsável pela pesquisa. Crédito: Karolinska Institutet.

Dr. Christer Betsholtz, professor de biologia vascular no Departamento de Bioquímica do Instituto Karolinska e responsável pela pesquisa. Crédito: Karolinska Institutet.

A luta contra o Alzheimer e o AVC (Acidente Vascular Cerebral) está rendendo resultados. Cientistas do Instituto Karolinska da Universidade Médica da Suécia apresentaram recentemente uma solução em potencial para resolver o problema causado pela BBB (barreira hematoencefálica). O artigo intitulado “Pericytes regulate the blood-brain barrier” foi publicado ontem na revista Nature.

Esta barreira, ao mesmo tempo em que protege o cérebro de substâncias químicas nocivas que ocorrem naturalmente no sangue, também obstrui o transporte de medicamentos para a massa encefálica. Os pesquisadores descobriram que a chave para a BBB é um tipo de células das paredes dos vasos sanguíneos, chamadas pericitos.  

“Os novos resultados mostram que a barreira entre sangue e cérebro é regulada por pericitos e a passagem pode ser aberta de forma a permitir a entrada de moléculas de tamanhos diferentes, mantendo as funções básicas do cérebro funcionando adequadamente,” diz Christer Betsholtz, professor de biologia vascular no Departamento de Bioquímica e responsável pela pesquisa.

O estudo demonstrou que os pericitos normalmente mantêm a função da barreira através de um mecanismo molecular ainda desconhecido. Na sua ausência, um processo de transporte especial chamado transcitose abre um caminho através das paredes capilares para que moléculas de tamanhos diferentes, incluindo proteínas plasmáticas grandes, possam passar do sangue ao cérebro. Os pericitos também regulam outro tipo de célula cerebral, conhecida por astrócito. Astrócitos contribuem para a BBB através de extensões especiais que envolvem os capilares e regulam os fluxos de água e íons.

“Nossos novos conhecimentos sobre como é regulada a BBB poderão ser usados de duas formas”, diz Betsholtz. “Para proteger o cérebro sob condições como as de derrame e inflamação que levam à abertura da barreira e liberação de substâncias neurodegenerativas, e para abrir a barreira temporariamente de forma a permitir o transporte de drogas contra doenças neurodegenerativas e outras do cérebro”.

Veja também:

Composto de pimentão reduz déficit de memória no envelhecimento
Baixos níveis de testosterona podem ser fator de risco para o Alzheimer
Sistema inteligente dá diagnóstico precoce do Alzheimer com 95% de precisão
Suplementos de vitamina B podem desacelerar atrofia do cérebro
Produção de novas células está intimamente relacionada com memória

Leia mais sobre: alzheimer.