Pesquisadores encontram nova pista para doenças neurodegenerativas

Pesquisadores descobriram que células nervosas do cérebro podem morrer rapidamente pela transferência prematura de uma molécula.

root

29 Julho 2010 | 15h16

Transferência prematura de uma molécula de gás de uma proteína para outra pode ser um golpe duplo nas células do cérebro.

Transferência prematura de uma molécula de gás de uma proteína para outra pode ser um golpe duplo nas células do cérebro.

Embora tenham impressões digitais genéticas diferentes, o Alzheimer, o mal de Parkinson e a doença de Huntington são caracterizados igualmente pela morte de células cerebrais. A causa para esta destruição no cérebro pode ser a mesma, de acordo com uma pesquisa realizada por pesquisadores do Instituto Sanford-Burnham, nos EUA: a transferência prematura de uma molécula de gás (conhecida como óxido nítrico) de uma proteína para outra.

“Nós e outros pesquisadores demonstramos que o óxido nítrico e moléculas relacionadas podem contribuir para a morte ou sobrevivência de células nervosas”, explica Stuart A. Lipton, autor sênior do estudo. “No entanto, as novas descobertas revelam que o óxido nítrico pode realmente saltar de uma proteína para outra em vias moleculares que levam ao suicídio celular”.

Tendo em vista esta via molecular para a causa da morte celular em doenças neurodegenerativas, a equipe acredita ser possível desenvolver novos testes de diagnóstico e medicamentos mais potentes contra o Alzheimer, Parkinson e doença de Huntington.

Jogo da batata quente

No estudo em questão, os pesquisadores descobriram que moléculas similares ao óxido nítrico são transferidas pelas caspases, proteínas que normalmente iniciam a morte celular, até a XIAP, uma proteína que normalmente inibe a morte celular. Ou seja: as caspases passam o óxido nítrico como uma brincadeira de “batata quente”. Um processo que ocorre por uma reação química conhecida como transnitrosilação.

Quando a XIAP está segurando o óxido nítrico, o resultado é um golpe duplo nas células do cérebro, já que elas são programadas para se autodestruírem de qualquer maneira (quando a XIAP tem óxido nítrico ou quando a caspase não tem). Assim, eventos de autodestruição nas células do cérebro ocorrem ao mesmo tempo. Em pacientes com as doenças neurodegenerativas, foi verificado que a XIAP contendo óxido nítrico é bem mais recorrente do que em cérebros de pacientes saudáveis.

A ideia dos pesquisadores agora é desenvolver medicamentos que previnam a transferência anormal e excessiva de óxido nítrico de uma proteína para outra, evitando assim lesões cerebrais e morte de células nervosas.

Veja também:

Descoberta dá novas esperanças para pacientes com a doença de Huntington
Receptor envolvido na comunicação de neurônios pode atuar contra doença de Huntington
Proteína atua como mediadora da toxicidade no Alzheimer
“Gene do envelhecimento” é associado ao mal de Alzheimer
Por que quem estuda mais apresenta menos sintomas de demência?
“Marca-passo do cérebro” pode ser criado em alguns anos
Estimulação da medula espinhal pode aliviar sintomas do Parkinson
Pesquisadores identificam novo mecanismo cerebral que pode estar associado ao Parkinson

Leia mais sobre: Alzheimer.