Pesquisadores afirmam que Terra caminha para 6ª extinção em massa

Salve-se quem puder: grupo de cientistas acredita que o nosso planeta tem uma idade mais avançada na linha de tempo geológica.

taniager

27 Março 2010 | 03h28

Espiral do tempo geológico

Espiral do tempo geológico

Se você pensa que ainda estamos vivendo na Época do Holoceno, você não compartilha a mesma opinião com alguns cientistas. Para eles,  a Terra já entrou em uma nova idade do tempo geológico.

Quatro pesquisadores, Jan Zalasiewicz e Mark Williams do departamento de Geologia da Universidade de Leicester, juntamente com Will Steffen, diretor do Instituto de Mudanças Climáticas da Universidade Nacional da Austrália e Paul Crutzen, químico atmosférico da Universidade de Mainz e ganhador do Prêmio Nobel, estão sugerindo que já estamos vivendo na Época Antropocena. Como se isto não bastasse, eles acrescentam: a Terra está caminhando para a sexta maior extinção em massa da sua história.

Eles fornecem provas da  mudança global em comentário no jornal bi-semanal Environmental Science & Technology da American Chemical Society, matéria a ser impressa para 1º de abril.


A Época do Holoceno, a última do Período Neogeno, teve início há 11.500 anos com o fim da Era do Gelo e a expansão da civilização humana. Na visão clássica da divisão do tempo geológico, ainda estamos vivendo nesta época. Mas, para os quatro cientista, os seres humanos provocaram mudanças tão drásticas no mundo  em apenas dois séculos, que alteraram o planeta em milhões de anos. Por esta razão, acreditam que estamos inaugurando um novo intervalo de tempo geológico.

Zalasiewicz, Williams, Steffen e Crutzen alegam que devido à atividade humana recente e ao crescimento populacional impressionante, que está disseminando megacidades, somados ao aumento do uso de combustíveis fósseis, ocorreram mudanças no planeta, a tal ponto afetado, que estamos entrando no que eles chamam de Época do Antropoceno.

O termo Antropoceno não é novo. Ele havia sido proposto por Crutzen há mais de uma década, mas ainda provoca controvérsia. No entanto, como surgiram mais consequências potenciais da atividade humana – como a mudança climática global e o grande aumento na extinção de animais e plantas -, o termo de Crutzen ganhou apoio. Atualmente, a comunidade mundial geológica está formalmente considerando se o Antropoceno deve participar do Jurássico, do Cambriano e de outras unidades mais familiares na Escala de Tempo Geológico.

Embora a designação formal do termo possa causar polêmica, os cientistas acreditam que o debate sobre uma nova fase na história da humanidade e da Terra continuará.

O termo Antropoceno está intimamente ligado à relação entre as forças humanas e as forças naturais. Estas forças tornaram-se interligadas no momento em que o destino da humanidade determina o destino da natureza, e vice-versa. “Geologicamente, este é um episódio marcante na história deste planeta”, afirmam os cientistas.

Veja mais:

Mudanças climáticas: olhando o passado para compreender o presente
Árvores estão crescendo rápido em resposta a mudanças climáticas
Aquecimento global afetava povoados antes da Revolução Industrial