Equipe divulga imagem detalhada de jatos de buraco negro

Semicírculos surgem nas extremidades dos jatos quando a matéria em queda se aproxima do buraco negro, mas como eles se formam?

root

20 Maio 2011 | 11h20

Crédito: ESO/WFI (visible); MPIfR/ESO/APEX/A.Weiss et al. (microwave); NASA/CXC/CfA/R.Kraft et al. (X-ray).

Crédito: ESO/WFI (visible); MPIfR/ESO/APEX/A.Weiss et al. (microwave); NASA/CXC/CfA/R.Kraft et al. (X-ray).

Uma equipe internacional, incluindo pesquisadores da NASA, conseguiram produzir a imagem mais detalhada de jatos de partículas em erupção de um buraco negro supermassivo em uma galáxia vizinha. O trabalho foi possível com a utilização de radiotelescópios localizados em todo o hemisfério sul.

“Esses jatos surgem enquanto a matéria em queda se aproxima do buraco negro, mas não sabemos ainda detalhes de como eles se formam e se mantêm”, diz Cornella Mueller, autora do estudo e pesquisadora da Universidade Eriangen-Nuremberg, na Alemanha.

A nova imagem mostra uma região menor do que 4,2 anos-luz de diâmetro – menor do que a distância entre o Sol e sua estrela mais próxima -, com uma resolução de jatos galácticos inédita. O estudo será publicado na edição de junho da Astronomy and Astrophysics e está disponível para leitura online.

A equipe de Mueller tomou como alvo a Centauros A (Cen A), uma galáxia vizinha com um buraco negro supermassivo com massa 55 milhões de vezes superior a do Sol. Também conhecida como NGC 5128, a Cen A está localizada a cerca de 12 milhões de anos-luz, na constelação de Centaurus, e é uma das primeiras fontes radio celestes identificadas como galáxia.

Vista por meio de ondas de rádio, a Cen A é um dos maiores e mais brilhantes objetos no céu – quase 20 vezes o tamanho aparente da lua cheia. Isso ocorre porque a galáxia visível se espalha entre um par de fluxos emissores de ondas de rádio gigantes, com aproximadamente 1 milhão de anos-luz cada. Estas “bolas” são preenchidas com matéria proveniente de jatos de partículas perto do buraco negro central da galáxia.