Equipe sugere uma nova forma de impedir infecção pelo vírus HIV

Interação entre proteínas pode ser bloqueadas, uma intervenção que permitiria que drogas antivirais naturais entrassem em ação.

root

27 Dezembro 2010 | 10h22

O HIV, vírus da imunodeficiência humana, age no interior das células humanas responsáveis pela defesa do organismo.

O HIV, vírus da imunodeficiência humana, age no interior das células humanas responsáveis pela defesa do organismo.

Pesquisadores da Universidade de Minnesota descobriram como o HIV se liga e destrói uma proteína humana antiviral específica chamada APOBEC3F. Os resultados sugerem que uma mudança química simples pode converter a APOBEC3F em um agente antiviral mais eficaz e que a blindagem de um recurso comum partilhado por proteínas relacionadas pode produzir um resultado semelhante.

As células humanas produzem uma família de proteínas antivirais (chamadas APOBECs) que tem a capacidade única e singular de destruir o HIV. Mas o HIV evoluiu de modo a superar a restrição usando um acessório chamado proteína Vif (fator de infectividade do vírion) para degradar as proteínas APOBEC e permitir que o vírus se espalhe.

Os pesquisadores descobriram que a Vif interage com uma proteína antiviral, APOBEC3F, e demonstraram como a conexão pode ser interrompida por uma mudança química simples na superfície da APOBEC3F. Eles também observaram que os sites de interação semelhantes são encontrados na superfície do mesmo em outros membros desta família de proteínas antivirais. Isto sugere que a interação entre as proteínas pode ser bloqueada, uma intervenção que permitiria que drogas antivirais naturais entrassem em ação impedindo o vírus de se espalhar.

A equipe agora está tentando entender todos os níveis da interação vital entre estas proteínas celulares humanas e Vif do HIV. É possível que novos estudos mapeiem as interações físicas de forma mais apurada.