Equipe vai testar técnica ousada com o objetivo de erradicar o vírus HIV do corpo

Portadores do vírus serão submetidos a uma vacina que “acorda” células dormentes para que terapias regulares extinguam células ativadas.

root

02 Dezembro 2010 | 15h23

O HIV é um retrovírus que ataca o sistema imunológico podendo causar a síndrome da imunodeficiência adquirida, ou Aids.

O HIV é um retrovírus que ataca o sistema imunológico podendo causar a síndrome da imunodeficiência adquirida, ou Aids.

Um novo estudo da Northwestern University realizará um protocolo ousado para tentar erradicar completamente as células latentes do HIV que não são afetadas pelos medicamentos atuais. Os participantes, portadores do vírus, serão submetidos a uma vacina que “acorda” células dormentes, permitindo que as terapias regulares extinguam estas células ativadas.

“Se nós pudermos efetivamente reduzir o reservatório, então poderemos pensar em uma cura para o HIV”, diz Robert Murphy, diretor-fundados da Northwestern University Feinberg School of Medicine’s Center for Global Health.

Muitas pessoas com HIV vivem com níveis quase indetectáveis de vírus no sangue, mas células dormentes permanecem escondidas no organismo, resistindo a poderosos coquetéis anti-HIV. A ideia, então, é ativar as mesmas para depois destruí-las. Para tanto, os participantes tomarão doses maiores de medicamentos durante dois meses e a vacina.


“Se você ativar essas células na presença da droga regular terapêutica para o HIV, seria possível controlar e combater o vírus, acabando por extinguir o reservatório”, ressalta Murphy. Após o tratamento, os pesquisadores irão observar os participantes por um ano em relação a células brancas do sangue e quantidade de HIV presente no corpo. “Achamos que é um passo na direção certa para encontrar o agente imunológico que vai erradicar o reservatório”, acrescenta o pesquisador.