Estresse pode piorar muito os sintomas físicos e psicológicos da TPM

Mulheres que se sentem estressadas estão mais sujeitas a sintomas moderados e graves, como depressão e tristeza, durante a menstruação.

root

23 Agosto 2010 | 12h58

Você fica nervosa só de lembrar que está chegando a menstruação? Melhor se acalmar – em todos os aspectos. De acordo com um estudo realizado pelo National Institutes of Health, nos EUA, e outras instituições, o estresse pode piorar os sintomas pré-menstruais. Ou seja: a famosa TPM pode ficar bem mais forte.

A tensão pré-menstrual é um grupo de sintomas físicos e psicológicos que ocorrem na época da ovulação, podendo se estender até os primeiros dias da menstruação, incluindo sentimentos de raiva, ansiedade, alterações de humor, depressão, fadiga, inchaço no peito, dores e inchaço abdominal.

“Nós estávamos interessados em identificar fatores que possam prever quem poderia estar em risco maior de ter sintomas graves”, explica Audra Gollenberg, pesquisador da divisão de epidemiologia, estatística e investigação de prevenção do NIH’s Eunice Kennedy Shriver National Istitute of Child Health and Human Development. “Pode ser possível diminuir ou impedir a gravidade desses sintomas com técnicas que ajudam as mulheres a lidarem mais eficazmente com o estresse”.

O estudo contou com a participação de 259 mulheres entre 18 e 44 anos saudáveis e que não estavam usando contraceptivos orais ou outras terapias hormonais. Um questionário foi aplicado para determinar o comportamento e níveis de estresse ao longo de cada semana do ciclo.

Os resultados mostraram que mulheres que se sentem estressadas estão mais sujeitas a sintomas moderados e graves, como depressão e tristeza, durante a menstruação. As consequências também foram evidentes no corpo: mais dores, inchaço abdominal, dor lombar, fadiga, cólicas, dor de cabeça e desejo por alimentos doces ou salgados. Altos níveis de estresse foram relacionados com uma probabilidade duas a quatro vezes maior de sofrer sintomas graves da TPM.

Mulheres que se sentem estressadas nas semanas que antecedem um ciclo, mas não se sentem estressadas durante o ciclo, tendem a ter os sintomas pré-menstruais mais pronunciados após o ciclo em que elas relataram o estresse. As mulheres com alto estresse nos dois ciclos anteriores tinham 25 vezes mais probabilidade de relatar sintomas moderados a graves do que as mulheres com baixo estresse anterior em ambos os ciclos.

Alguns medicamentos podem ser usados para tratar os sintomas da síndrome pré-menstrual, como diuréticos, analgésicos, pílulas anticoncepcionais orais, antidepressivos e remédios que suprimam a função ovariana. “Cada mulher é um indivíduo, e algumas mulheres podem ter sintomas graves que necessitam de medicamentos”, ressalta Maria Hediger, também da divisão de epidemiologia, estatística e investigação de prevenção. “No entanto, estudos futuros poderão mostrar que as técnicas de redução do estresse podem prevenir ou reduzir a gravidade da síndrome pré-menstrual”.

Veja também:

Cérebro de crentes está mais preparado para lidar com erros
Oxitocina pode indicar sucesso de relacionamento entre saguis
“Fora” ativa regiões do cérebro relacionadas ao vício e recompensa
Pílula e reposição hormonal diminuem risco de ruptura de aneurismas
Muitas mulheres com insuficiência ovariana tem ovos imaturos