Excesso de proteína SP2 em célula-tronco aumenta formação de tumores

Superprodução da SP2 em células-tronco impediu a produção de descendentes maduros, induzindo a formação de tumores malignos.

root

28 Outubro 2010 | 09h50

Células do câncer crescem descontroladamente no organismo, diferente de células saudáveis sujeitas à morte celular programada.

Células do câncer crescem descontroladamente no organismo, diferente de células saudáveis sujeitas à morte celular programada.

Pesquisadores da Universidade Estadual da Carolina do Norte, nos EUA, descobriram que o excesso de produção de uma proteína-chave nas células-tronco faz com que essas aumentem a formação de tumores cancerígenos. A descoberta pode levar a novos tratamentos para vários tipos de câncer.

A equipe observou que a proteína SP2 regula a atividade de outros genes. Eles sabiam que quantidades elevadas da mesma eram observadas em pacientes com câncer de próstata, e que esses níveis não só aumentaram como também os tumores se tornaram mais agressivos. Eles então mostraram que o mesmo ocorre em tumores de pele em ratos.

Os pesquisadores analisaram a SP2 como uma possível causa de formação de tumores epiteliais de células derivadas, as quais compreendem cerca de 80% de todos os tumores humanos; células epiteliais cobrem superfícies internas e externas do corpo. Descobriram, então, que a superprodução da SP2 em células-tronco epiteliais impediu a produção de descendentes maduros. Desta forma, as células-tronco afetadas, incapazes de produzir células maduras, levaram à formação de tumores.

“Algo acontece com as células-tronco normais na presença da SP2”, diz Jon Horowitz, professor de ciência biomédica molecular responsável pela equipe. “Ela, basicamente, sequestra a célula-tronco e a transforma em seu gêmeo do mal – uma célula cancerosa”.

Agora que a ligação entre a formação de tumores e SP2 foi descoberta, Horowitz diz que os cientistas podem voltar suas atenções para formas de atingir a superprodução dessa proteína. “Nossa esperança é de podermos encontrar um” antídoto “para o SP2, para restaurar a proliferação celular normal para as células-tronco cancerosas e inverter o processo”.

Os resultados da pesquisa foram publicados na edição na revista Cancer Research.

Veja também:

Identificado gene que regula morte programada de células-tronco
MicroRNA aumenta número de células-tronco do sangue no organismo
Células-tronco dão esperanças a pacientes com doenças pulmonares
Células endoteliais aumentam produção de células-tronco

Leia mais sobre: câncer.