Identificada proteína que pode fazer com que seus ossos sejam frágeis

Equipe tem novos insights sobre o esqueleto, indicando caminhos promissores no desenvolvimento de terapias contra degeneração óssea.

root

27 Julho 2010 | 13h12

Descoberta de pesquisadores do Medical College of Georgia pode abrir o caminho para novas drogas contra a osteoporose, artrose e anemia. Crédito: Medical College of Georgia.

Descoberta de pesquisadores do Medical College of Georgia pode abrir o caminho para novas drogas contra a osteoporose, artrose e anemia. Crédito: Medical College of Georgia.

Uma pequena parte da proteína neogenina resulta em esqueletos menores durante o desenvolvimento e prepara tudo para uma estrutura óssea mais frágil ao longo da vida, de acordo com pesquisadores da Universidade da Geórgia, nos EUA. Ratos em desenvolvimento com déficit de neogenina são geralmente menores, com pequenas placas de crescimento – usadas como indicador do futuro desenvolvimento.

Em um artigo sobre o trabalho publicado na Developmentall Cell, os pesquisadores fornecem novos insights acerca do desenvolvimento do esqueleto, bem como indicam caminhos promissores no desenvolvimento de novas terapias contra a artrose, uma perturbação crônica caracterizada pela degeneração das cartilagens e dos ossos das juntas.

De acordo com a equipe, a neogenina não produz osso, mas forma um complexo proteico essencial para ativar genes responsáveis pela produção de cartilagem. “Cada tipo de células tem um gene mestre. A neogenina não é isso, é mais do que um modulador”, explica Wen-Cheng Xiong, autor correspondente do estudo. Por este motivo, se ela é transformada, como na experiência com roedores mutantes, a formação da cartilagem e dos ossos é interrompida – mas não desligada para sempre.

O desenvolvimento do esqueleto ocorre cedo, razão por que mulheres grávidas precisam tanto de cálcio. Inicialmente, ele é formado por osso e cartilagem mole, atraindo mais vasos sanguíneos e as células conhecidas como osteoblastos – que substituem a maior parte da cartilagem com osso duro ao longo do tempo, quebrando e reabsorvendo o osso.

Uma criança nasce com placas de crescimento onde osso duro e mole se encontram e que irão depois alongar para que o indivíduo cresça. Na puberdade os ossos endurecem, exceto a cartilagem das articulações (facilitando a circulação e permitindo o amortecimento). Doenças como a osteoporose ou artrose ocorrem quando os osteoblastos começam a atuar demais, em função de problemas de nutrição, inflamação ou hormonal.

A neogenin ajuda os neurônios diretamente durante o desenvolvimento, auxiliando na regulação dos níveis de ferro. Os pesquisadores suspeitam que a proteína pode também ter muitas funções em adultos, tornando-se talvez um supervisor da formação e renovação óssea.

“Cada função do corpo precisa ser capaz de ser ativada ou desativada”, explica Xiong. “Acredito que em uma doença este molécula poderia estar transformada. As vias são alteradas, não eliminadas, fazendo crescer ou decrescer de forma anormal”. Medicamentos que mantenham os níveis da proteína equilibrados poderiam ser uma maneira inteligente de tratar osteoporose, anemia e até mesmo excesso de ferro no sangue.

Veja também:

Processo de renovação óssea é importante regulador da glicose
Deficiência de cálcio na infância pode induzir obesidade na maturidade
Exercícios antes da menopausa previnem osteoporose
Pesquisadores desenvolvem novo teste para o diagnóstico da artrose
Gel recupera cartilagem com ajuda de células-tronco do organismo
Inibidor de síntese de serotonina no intestino cura osteoporose em ratos