Consumo de frango pode ter relação com casos de infecção urinária

Pesquisa conduzida no Canadá mostra como a bactéria E. coli pode passar do frango para o seu intestino e do seu intestino para o trato urinário.

root

21 Janeiro 2010 | 23h40

Pesquisa mostra fortes evidências de que a carne do frango contaminada possa ser responsável por muitos casos de infecção urinária.

Pesquisa mostra fortes evidências de que a carne do frango contaminada possa ser responsável por muitos casos de infecção urinária.

Quem sofre constantemente da incômoda infecção urinária deve tomar cuidado com o que come: pesquisa da McGill University, no Canadá, mostra uma forte evidência que o consumo de frango e a bactéria E. Coli, responsável pelo problema, andem de mãos dadas.

Frangos vendidos em mercados, restaurantes e outros estabelecimentos podem aumentar o risco de infecções urinárias em jovens. Amostrar colhidas na região de Montreal, entre 2005 e 2007, em colaboração com a Agência de Saúde Pública do Canadá e da Universidade de Guelph, fornecem novas evidências de que a Escherichia coli (E. coli) é adquirida desta fonte de alimento.

É claro que o consumo de uma carne ou comida contaminada não leva necessariamente a uma internação. Enquanto alguns tipos de E. coli podem causar graves problemas intestinais, outras podem viver no corpo humano sem causar maiores transtornos. Em mulheres, entretanto, a bactéria consegue sair do ânus e ir para a vagina e uretra durante o ato sexual – causando a infecção.

Os pesquisadores também estão investigando se a carne pode passar bactérias resistentes aos seres humanos. Com o uso de antibióticos para tratar ou prevenir a doença nos animais e promover o seu crescimento, muitas bactérias acabam desenvolvendo resistência à medicação. Quando os frangos são abatidos, e sua carne é processada para a venda, as bactérias podem permanecer – sendo consumidas pelo homem.

Mas não há motivos para pânico. Os pesquisadores aconselham apenas que se cozinhe bem a carne, evitando também a contaminação de outros alimentos na cozinha. Apesar de algumas infecções serem causadas por E. coli mais resistentes a antibióticos, a infecção em seres humanos pode ser tratada.