Pesquisa mostra potencial anticancerígeno do leite materno

Experiência envolvendo pacientes com câncer na bexiga mostra que células doentes são expelidas com a urina. Células saudáveis não são alvo.

root

16 Abril 2010 | 15h25

Além de oferecer inúmeros benefícios ao bebê, leite materno parece promissor para o tratamento de algumas doenças.

Além de oferecer inúmeros benefícios ao bebê, leite materno parece promissor para o tratamento de algumas doenças.

Pesquisas realizadas pela Universidade de Lund e Universidade de Gotemburgo, na Suécia, mostram que uma substância encontrada no leite materno é capaz de matar células de câncer. Embora os cientistas soubessem que a HAMLET (Human Alfa-lactalbumina Made LEthal to Tumor cells) tinha uma capacidade anticancerígena, este é o primeiro trabalho a testar o potencial em seres humanos.

Para a pesquisa, doentes com câncer de bexiga foram tratados com a substância. Células do cancro, mortas, foram expelidas pela urina, dando esperança que a HAMLET possa ser usada em medicamentos contra a doença no futuro. O mais promissor parece ser a habilidade que a substância tem de atacar somente células doentes.

A descoberta da HAMLET ocorreu por acaso, quando pesquisadores estudavam as propriedades antibacterianas do leite materno. Experimentos de laboratório mostram que a substância é capaz de matar 40 diferentes tipos de câncer. O próximo passo agora é analisar o efeito sobre cancros da pele, tumores nas membranas mucosas e cerebrais.


Veja também:

Xeque-mate no câncer: molécula bloqueia metástase em ratos
Estresse provoca cadeia de eventos moleculares que ajuda metástase
Grupo de moléculas que combate metástase e infecções é descoberto
Composto natural inibe migração de células de câncer no corpo
“Tentáculos” em células do câncer podem ter papel crucial na metástase
Célula cancerosa atua em microRNA tornando-se resistente à quimio