Bactérias ficam na posição vertical para "caminhar" em superfície

Habilidade de “andar” foi observada na Pseudomonas aeruginosa, patógeno responsável em grande parte por infecções na fibrose cística.

root

08 Outubro 2010 | 12h14

Concepção artística ilustra o

Concepção artística ilustra o "caminhar" das bactérias. Crédito: UCLA.

Muitas das infecções resistentes são resultados do biofilme bacteriano – agregados estruturados de bactérias que ficam em superfícies  e que são extremamente resistentes a ambientes hostis. Esses biofilmes podem impactar na saúde humana de várias maneiras. A fibrose cística, por exemplo, é uma doença que leva pacientes à morte porque os biofilmes bacterianos instalados em suas vias respiratórias são invulneráveis até mesmo aos antibióticos mais potentes. Entretanto, agora pesquisadores da Universidade da Califórnia em Los Angeles, nos EUA, descobriram que durante os primeiros estágios de formação do biofilme, as bactérias podem realmente ficar na posição vertical e “caminhar” como parte de sua adaptação à superfície. 

“As bactérias existem em dois estados fisiológicos: o nado livre, estado unicelular planctônica, e o estado de biofilme na superfície montada, uma densa comunidade estruturada de células regidas por sua própria lei”, explica Gerard Wong, professor de bioengenharia da UCLA. “Bactérias em biofilmes são fenotipicamente diferentes das bactérias que nadam livremente, embora sejam idênticas genomicamente. Como parte de sua adaptação a uma superfície e a na existência de uma comunidade, diferentes genes são ativados ou desativados, levando a comportamentos muito diferentes”. 

A habilidade de “andar” foi observada em bactérias Pseudomonas aeruginosa, patógenos de biofilme responsável em boa parte pelas infecções letais na fibrose cística. Um artigo descrevendo o trabalho foi publicado na Science, no qual pesquisadores explicam que o que permite a mudança para a posição ereta são apêndices chamados IV pili. Eles funcionam como pernas. 

“Nós demonstramos que a orientação vertical exerce um papel crítico nos principais eventos do ciclo de vida: as bactérias verticalmente orientadas podem separar-se mais facilmente a partir de superfícies, espalhando-se de forma eficaz”, ressalta Jacinta Conred, atualmente professor de engenharia química e biomolecular da Universidade de Houston, que participou dos estudos. “Nossa única contribuição é relacionar diretamente o comportamento de uma única célula para eventos específicos no ciclo de vida bacteriana e, assim, mostrar como a mobilidade de uma única célula influencia a morfologia do biofilme”.

Veja também:

Equipe descobre uma “tática do câncer” para se espalhar pelo corpo
“Tentáculos” em células do câncer podem ter papel crucial na metástase
Bactérias se tornam altamente altruístas na presença de antibiótico