Má influência: molécula transforma células protetoras em assassinas

ProNGF atua como sequestrador: é capaz de fazer com que uma célula protetora ataque matando neurônios, causando a perda da visão.

root

03 Fevereiro 2010 | 00h00

Descoberta pode levar ao desenvolvimento de novas armas contra o glaucoma e a cegueira.

Descoberta pode levar ao desenvolvimento de novas armas contra o glaucoma e a cegueira.

Cientistas da Universidade de Montreal, no Canadá, identificaram um agente “duplo” no olho que pode se transformar de protetor a assassino de neurônios. Num piscar de olhos. A descoberta tem implicações significativas na área da saúde, já que os neurônios mortos por esse processo resultam em perda da visão e cegueira.

Os resultados mostram como uma molécula incomum, chamada proNGF, ativam as glias – células não neuronais do sistema nervoso central que dão suporte e nutrição aos neurônios e que geralmente protegem os mesmos na retina e no cérebro.

“Descobrimos que as glias atacam e matam neurônios depois de serem acionadas por proNGF”, explica Philip Barker, neurocientista do Instituto Neurológico de Montreal e professor do departamento de neurologia do Instituo McGill, que colaborou com o estudo. “Uma vez que as glias protegem os neurônios, ficamos surpresos ao descobrir que a proNGF pode converter células glias em assassinas que causam a morte de neurônios da retina”.

De acordo com os pesquisadores, o proNGF atua como um sequestrador de células: a partir de uma lesão cerebral ou do desencadeamento de uma doença neurodegenerativa, a proNGF altera a rede de células da glia alterando sua função.

O próximo passo, agora, é observar o dano que o proNGF pode desencadear. Se um neurônio morre, ele morre pra sempre, e a perda permanente dessas células causam a cegueira. Os pesquisadores precisam estudar, a partir destes resultados, se os sinais do proNGF podem ser controlados. Caso seja possível bloquear a influência da molécula sobre as glias, neurônios poderiam ser protegidos. Os benefícios poderiam atingir inclusive pacientes com glaucoma.

Veja também:

De olhos bem abertos: esteroides contra a retinopatia diabética
Pesquisa mostra como gene BTG2 atua no processo de neurogênese
Célula nova é capaz de ensinar célula velha a agir de forma jovial