Material estranho encontrado em Marte intriga cientistas

Imagens da sonda espacial Opportunity da NASA mostram revestimentos estranhos cobrindo as rochas encontradas ao redor de cratera.

taniager

25 Março 2010 | 02h49

Esta imagem mostra a cratera Conceptión no meridiano de Marte.(Crédito: NASA?JPL-Catech/University of Arizona)

Esta imagem mostra a cratera Conceptión no meridiano de Marte.(Crédito: NASA/JPL-Catech/University of Arizona)

Imagens captadas pela sonda espacial Opportunity da NASA mostram revestimentos estranhos cobrindo as rochas encontradas ao redor de uma cratera em Marte. Após uma observação preliminar das imagens, os cientistas ainda permanecem intrigados sobre como estes revestimentos foram formados.   

A sonda permaneceu seis semanas investigando a cratera chamada “Concepción” antes de retomar o seu longo percurso este mês. A cratera tem cerca de 10 metros de diâmetro. A existência de raios escuros que se estendem a partir da cratera indica que ela é jovem.   

As rochas ejetadas para fora, no impacto que cavou a cratera Concepción, são pedaços do mesmo tipo de rocha que a sonda Opportunity já havia registrado em centenas de locais desde sua aterrissagem em janeiro de 2004: pedra de arenito macia, rica em sulfato sustentando esferas escuras do tamanho de um grão de pimenta. As pequenas esferas, ricas em ferro, ganharam o apelido de “blueberries“.   


O investigador da sonda Opportunity, e de sua gêmea Spirit, Steve Squyres, da Universidade Cornell, Ithaca, NY, afirmou nunca ter visto algo semelhante ao material acinzentado escuro que recobre as faces das rochas encontradas e suas ranhuras. Ele é composto por pequenas esferas escuras agrupadas muito juntas.      

A Opportunity usou ferramentas em seus braços robóticos para analisar este material incomum em uma rocha chamada Chocolate Hills. Em alguns lugares, essa cobertura de “blueberries” está depositada entre as camadas mais finas e suaves.   

Imagem tirada pelo microscópio da sonda Opportunity mostra com detalhes o revestimento de blueberries que recobre a rocha Chocolate Hills.(Crédito: NASA?JPL-Catech/University of Arizona)

Imagem tirada pelo microscópio da sonda Opportunity mostra com detalhes o revestimento de "blueberries" que recobre a rocha Chocolate Hills.(Crédito: NASA/JPL-Catech/University of Arizona)

Matt Golombek, membro da equipe do Jet Propulsion Laboratory da NASA em Pasadena, Califórnia, descartou a hipótese de que o revestimento possa ter sido trazido por qualquer meteorito que tenha colidido com Marte. Segundo ele, o impacto que forma uma cratera como a Concepción é tão rápido que a maioria do material seria vaporizado. Películas finas do material fundido são jogadas para fora, mas normalmente sua composição é algo gerado no próprio impacto, e não um material trazido pelo corpo impactante.   

Os cientistas estão trabalhando com duas hipóteses principais para determinar a formação da cobertura de “blueberries”. Uma delas é a de que o material foi resultado da fusão de arenito pela energia liberada pelo impacto. Outra é que ele foi formado a partir do preenchimento de fraturas neste tipo de rocha, antes de ocorrer o impacto.   

Squyres supõe que o arenito derreta e as “blueberries” permaneçam intactas quando a rocha se funde. Outra alternativa seria a de que, como a rocha tem fraturas, a água escorre por elas e dissolve o arenito, liberando as pequenas esferas. Nesta hipótese, o impacto que escavou a cratera não foi responsável pela formação desse material, mas fraturou as rochas expondo o material que se encontrava dentro delas e formando o revestimento.   

Além de surpreender os cientistas por encontrar estas rochas após seis anos vasculhando esta parte de Marte, a visita da Opportunity respondeu a uma questão que os intrigava: o que são os raios escuros?   

Golombek pode explicar agora que os raios escuros são áreas com blocos em tons de arenito ejetados da cratera. Eles parecem escuros quando vistos da órbita de Marte por causa das sombras que os blocos projetam quando as imagens são captadas da órbita no meio da tarde.   

A evidência de que a cratera é jovem foi confirmada pelas pedras pouco erodidas jogadas da cratera. Squyres admite ser a Concepción a cratera mais jovem já encontrada por uma sonda itinerante.     

Desde que partiu de Concepción em 9 de março, a Opportunity já percorreu 614 metros ao longo do percurso que a leva ao seu destino, a cratera Endeavour, com cerca de 19 quilômetros de diâmetro. Mas, ainda falta percorrer a distância de mais de 12 quilômetros.

Veja também:
Canais de Marte podem ter sido formados pelo fluxo de lavas
Marte pode ter abrigado grandes lagos de água líquida há cerca de três bilhões de anos