Técnica sofisticada de construção ferramentas é muito mais antiga

Povos pré-históricos possuiam técnicas habilidosas para construir ferramentas 75 mil anos atrás, mais de 50 mil anos antes do suposto.

taniager

29 Outubro 2010 | 13h15

Ponta de lança de dois fios habilmente trabalhada, encontrada na caverna Blombos na África do Sul, foi datada ter perto de 75 mil anos. Crédito: Science/AAAS

Ponta de lança de dois fios habilmente trabalhada, encontrada na caverna Blombos na África do Sul, foi datada ter perto de 75 mil anos. Crédito: Science/AAAS

Um novo estudo liderado pela Universidade do Colorado em Boulder, EUA, mostrou que os povos pré-históricos eram mais capazes do que o suposto por estudiosos.  Nossos antepassados utilizavam um método altamente habilidoso e delicado de dar forma e retoque aos artefatos de pedra. Esta habilidade parece ter sido desenvolvida pelo menos 75 mil anos atrás, mais de 50 mil anos antes do que se pensava.

Os pesquisadores descobriram que a técnica, conhecida como “descamação por pressão”, foi usada na caverna de Blombos na África do Sul durante a idade da pedra média por seres humanos anatomicamente modernos. O aquecimento do silcrete – grãos de quartzo cimentados pela sílica – também era usado para fazer as ferramentas em questão.

Esta técnica para lascar a pedra utilizava primeiramente um “martelo” de pedra dura para golpear o material. Depois, um martelo feito de materiais mais moles, como a madeira e osso, dava o retoque final nas bordas do artefato de pedra em produção.

A técnica proporcionava um melhor meio de controlar o fio de corte, a espessura e a forma geral das ferramentas, como pontas de lança bifacial e facas de pedras, disse Paola Villa, curadora no Museu de História Natural e coautora do estudo na Universidade do Colorado. Antes da descoberta da caverna de Blombos, a mais antiga evidência desta técnica havia sido encontrada na cultura solutrense do Paleolítico superior na França e Espanha, cerca de 20 mil anos atrás.

“Esta constatação é importante porque mostra que o homem moderno na África do Sul tinha um repertório sofisticado de técnicas de fabricação de ferramentas em um tempo muito anterior”, disse Villa. “Esta inovação é um exemplo claro da tendência de desenvolver novas ideias funcionais e técnicas amplamente vista como sintomática do comportamento avançado, ou moderno,”.

Um artigo sobre o estudo foi publicado Science.