Microagulhas entregam pontos quânticos para diagnóstico do câncer

Microagulhas podem ser produzidas em diferentes formas e comprimentos, personalizadas para o tratamento de condições específicas.

root

25 Agosto 2010 | 12h07

Crédito: Royal Society of Chemistry.

Crédito: Royal Society of Chemistry.

Há pouco mais de um mês, pesquisadores da Universidade Emory e Instituto de Tecnologia da Geórgia anunciaram a criação de um adesivo com microagulhas que poderia substituir a injeção na administração de vacinas e outras aplicações. Agora, um time da Universidade da Estadual da Carolina do Norte, também nos EUA, anunciou o desenvolvimento de uma tecnologia semelhante para entregar pontos quânticos (cristais que emitem luz e são absorvidos pelas células cancerosas, facilitando a identificação da doença no corpo e morte das mesmas). 

“Fomos capazes de fabricar microagulhas plásticas ocas usando uma abordagem baseada no laser de prototipagem rápida”, explica Roger Narayan, pesquisador envolvido no trabalho. “Descobrimos que podemos entregar uma solução contendo pontos quânticos usando estas microagulhas”. 

De acordo com o pesquisador, os resultados são significativos porque a tecnologia permite que os pontos quânticos sejam entregues às camadas mais profundas da pele – sendo especialmente promissor no diagnóstico e avaliação do câncer de pele. Além disso, as microagulhas podem ser produzidas em diferentes formas e comprimentos, personalizadas para o tratamento de uma condição específica. 

O artigo “Multiphoton microscopy of transdermal quantum dot delivery using two photon polymerization-fabricated polymer microneedles” sera publicada na edição de setemebro do Faraday Discussions.

Veja também:

Adesivos com microagulhas poderão substituir injeções
Efeito duplo: morfina também pode inibir crescimento de tumores
Nanopartículas excitadas por campo magnético “matam” tumor
Nova técnica usa luz “inofensiva” para manipular proteínas em células
Vacina de DNA corta fornecimento de sangue para tumor