Molécula pode ser componente de futuro combustível verde para foguetes

Sem deixar a natureza para trás: cientistas descobrem nova molécula que pode formar combustível mais eficiente e que não agride o ambiente.

taniager

22 Dezembro 2010 | 12h18

“Trinitramid” é o nome dado à nova molécula de óxido de nitrogênio.

“Trinitramid” é o nome dado à nova molécula de óxido de nitrogênio.

Cientistas do Instituto Real de Tecnologia (KTH), Suécia, descobriram uma nova molécula, batizada de “trinitramid”, que poderá ser um componente para combustível com 20 a 30% mais de eficiência que o atual utilizado em foguetes.

Segundo Tore Brinck, professor de físico-química da KTH, “a regra geral é que para cada aumento de dez por cento na eficiência de combustível de foguete, sua carga útil pode dobrar. Além do mais, como a molécula é constituída apenas de nitrogênio e oxigênio, o combustível não agrediria o meio ambiente. Os combustíveis sólidos atuais emitem 550 toneladas de ácido clorídrico concentrado em cada lançamento de ônibus espacial”.

A molécula contém apenas nitrogênio e oxigênio e é a maior de todos os óxidos de nitrogênio já encontrados – a maioria no século 18. Bastante estável em estado sólido, sua fórmula molecular é N (NO2)3 em forma de hélice.


A equipe de pesquisadores, composta por Martin Rahm, Dvinshikh Sergey, Istvan Furo e Tore Brinck, mostrou como a molécula pode ser produzida e analisada. Os cientistas também conseguiram produzir quantidade suficiente da substância em um tubo de ensaio para torna-la detectável.

O artigo sobre a descoberta foi publicado na revista Angewandte Chemie International Edition recentemente.