Novo dinossauro é descoberto por paleontólogos nos Estados Unidos

Pesquisadores encontram quatro cabeças e dois crânios intactos de saurópode, grupo de gigantes caracterizado por longos pescoços e caudas.

root

24 Fevereiro 2010 | 18h01

Autores do artigo publicado no Naturwissenschaften, que descreve a nova descoberta. Da esquerda para a direita, Jeff Wilson, University of Michigan, Dan Chure, Dinosaur National Monument, and Brooks Britt, Brigham Young University. Crédito: Brigham Young University.

Autores do artigo publicado no Naturwissenschaften, que descreve a nova descoberta. Da esquerda para a direita, Jeff Wilson, University of Michigan, Dan Chure, Dinosaur National Monument, and Brooks Britt, Brigham Young University. Crédito: Brigham Young University.

Fãs do filme Jurassic Park podem comemorar: paleontólogos norte-americanos descobriram uma nova espécie de dinossauro a partir de fósseis encontrados no Dinosaur National Monument, um parque no estado de Utah, Estados Unidos. O Abydosaurus mcintoshi, como foi nomeado, pertence ao grupo de gigantes herbívoros de pescoços imensos e cauda longa, quatro patas e pouca habilidade para mastigar que antes qualificavam os Braquiossauros.

O trabalho para retirar os ossos do terreno de arenito de 105 milhões de anos não foi nada fácil, mas a manobra rara valeu a pena. Os pesquisadores conseguiram recuperar quatro cabeças e dois crânios intactos – sendo que até hoje, apenas oito das mais de 120 variedades de saurópodes foram recuperados completamente.

A descoberta é uma verdadeira façanha, já que as cabeças destes animais eram muito mais leves do que o crânio de mamíferos, pois possuíam o pescoço muito longo. Seus crânios eram feitos de finos ossos ligados por tecidos moles, o que dificulta o trabalho de paleontólogos –  desfazendo-se rapidamente após a morte.

Lado esquerdo e direito do crânio intacto encontrado no Dinosaur National Park, em Utah, EUA. Crédito: Jeff Wilson and John Whitlock, University of Michigan.

Lado esquerdo e direito do crânio intacto encontrado no Dinosaur National Park, em Utah, EUA. Crédito: Jeff Wilson and John Whitlock, University of Michigan.

A análise dos ossos indica que o dinossauro tem uma ligação mais próxima com o Brachiosaurus, que viveu na Terra há 45 milhões de anos. Além disso, pode fornecer boas pistas sobre como estes gigantes se movimentavam pela Terra atrás de alimentos, pois poucos fósseis puderam fornecer boas interpretações dos saurópodes do pescoço para cima.

Os crânios estão temporariamente expostos no Museu de Paleontologia da Brigham Young University, EUA, onde visitantes podem ainda ver como os pesquisadores  conseguiram reorganizar os ossos do Abydosaurus.

Veja também:

Pesquisadores conseguem descobrir cor de penas dos dinossauros
Respiração de aves e jacarés pode explicar dominação de arcossauros após grande extinção
Genoma de homem extinto é sequenciado em detalhes
Tamanho do Homo floresiensis pode ser mesmo resultado de seleção natural