Novo método antecipa tom que os dentes vão ter antes do clareamento

O dinheiro investido em um sorriso mais bonito não será desperdiçado. Ensaios clínicos devem ser feitos antes de técnica chegar aos consultórios.

root

10 Junho 2010 | 14h30

Ensaios clínicos ainda devem ser realizados antes que a nova técnica chegue aos consultórios odontológicos. Crédito: Universidade de Granada.

Ensaios clínicos ainda devem ser realizados antes que a nova técnica chegue aos consultórios odontológicos. Crédito: Universidade de Granada.

Ora, ora: não é preciso ser esquimó ou sabão em pó para saber que nem todo branco é igual. Agora, pesquisadores da Universidade de Granada, na Espanha, desenvolveram um método que permite predizer qual tom um dente vai adquirir depois de ser submetido a um tratamento de clareamento. O dinheiro investido em um sorriso mais bonito não será desperdiçado.

O clareamento de dentes é hoje um procedimento de rotina em consultórios odontológicos. Os produtos utilizados são a base de peróxido de carbamida e têm poucos efeitos colaterais – geralmente ligeiros e transitórios. Entretanto, ao propor o clareamento ao paciente, o dentista é incapaz de garantir um resultado perfeito.

A pesquisa se concentrou em 53 pessoas que passaram pelo procedimento para clarear os dentes. A equipe fez um levantamento de hábitos alimentares (para saber se isso influenciaria na construção de modelos preditivos) e verificou que este fator era pouco relevante, excluindo do estudo.  


Para dar uma compreensão maior sobre os resultados, os pesquisadores projetaram um sistema fuzzy (lógica difusa) que mostra a associação entre medidas instrumentais e as fitas geralmente usadas para determinar o padrão cromático antes e após o clareamento. Esta associação permite estabelecer diretrizes objetivas para que, uma vez definida a fita mais próxima à cor do dente do paciente, o dentista possa predizer a cor esperada após o tratamento.

Veja também:

Sorria: nova técnica com células-tronco promete “terceira dentição”