Teste do dedo é aperfeiçoado para indicar doenças cardiovasculares

Pesquisadores detalham como um modelo matemático está ajudando a explicar mecanismos físicos reais por trás do monitor.

root

05 Maio 2010 | 23h38

Modelo matemático pode ajudar pesquisadores a melhorarem teste do dedo. Crédito: UH.

Modelo matemático pode ajudar pesquisadores a melhorarem teste do dedo. Crédito: UH.

Professores da Universidade de Houston, nos EUA, estão aperfeiçoando um dispositivo que controla os batimentos cardíacos simplesmente pela temperatura da impressão digital de uma pessoa. Em um artigo publicado no Journal of Biomechanical Engineering, os pesquisadores detalham como um modelo matemático está ajudando a explicar mecanismos físicos reais por trás do VENDYS, capaz de monitorar mudanças no fluxo sanguíneo e apontra para riscos de doenças cardiovasculares. 

“Este é realmente o primeiro artigo sobre o tema na literatura da engenharia biomédica”, diz Ralph Metcalfe, um dos autores do trabalho. “VENDYS está nos ajudando a desenvolver uma avaliação de risco atual não-invasiva focada em um indivíduo específico”. 

Baseados no modelo matemático, os pesquisadores estão examinando como fatores como a temperatura do ambiente ou uma refeição ingerida há algumas horas pode influenciar os resultados. Entendendo isso, eles esperam determinar as condições necessárias para alcançar resultados finais mais precisos. 

O VENDYS, aprovado em 2007 para ser comercializado, é usado atualmente como um teste complementar de outros exames cardiovasculares. Entretanto, os pesquisadores acreditam que o dispositivo possa ser melhorado (tornando-se inclusive portátil) e utilizado para monitorar pessoas que estão tentando estacionar a progressão de doenças do coração com dietas e exercícios. 

“Você não quer fazer uma varredura de raio-X todos os meses, porque envolve muita radiação”, aponta Metcalfe. “Mas, algo como isso poderia ser usado para ajudar a controlar o andamento e verificar se você está realmente melhorando. Este tipo de feedback pode ser muito valioso”. 

Veja também: 

Pesquisadores desenvolvem novo teste para o diagnóstico da artrose
Exame de urina indica problemas renais em pacientes com lúpus
Fiocruz desenvolve kit para diagnóstico rápido da tuberculose
Pesquisadores desenvolvem monitor eletrônico que “mede” estresse
Teste de DNA poderá mostrar predisposição ao transtorno bipolar