Pesquisadores da USP podem ser finalistas em disputa internacional

Identificador de cores pode chegar à final se conseguir arrecadar 6 mil dólares para custear o treinamento dos desenvolvedores nos EUA.

root

27 Janeiro 2010 | 17h00

Aparelho desenvolvido pelos pesquisadores da Poli-Usp pode ajudar um milhão de pessoas. Crédito: Auire.

Aparelho desenvolvido pelos pesquisadores da Poli-Usp pode ajudar um milhão de pessoas. Crédito: Auire.

Uma ideia brasileira pode facilitar a vida de deficientes visuais do mundo todo: o Auire, identificador de cores desenvolvido por pesquisadores da Escola Politécnica da USP. Finalista da competição internacional Unreasonable Finalists Marketplace, o aparelho portátil “fala” a cor do objeto analisado, servindo para a leitura de notas. Agora, para dar certo mesmo, só falta a equipe ver a cor do dinheiro.

Como a competição tem o objetivo de buscar empreendedores sociais que desenvolvam planos autossustentáveis com formato de empresa, só chega à fase final quem conseguir angariar US$ 6.500 em doações em menos tempo – valor que pode custear o treinamento de dez semanas dos desenvolvedores do projeto no Colorado, EUA. Serão 25 equipes selecionadas.

O aparelho, que poderia ter um custo entre R$100 e R$200, é uma caixinha que faz a leitura óptica de um objeto, identificando por sensores três cores: azul, verde e vermelho. A partir disso, fala o nome da cor para o usuário. Como no Brasil as notas se diferenciam pelas cores, o Auire poderia ajudar quem não enxerga. Ou, no caso dos daltônicos, mostrar a verdadeira cor de um objeto.

O protótipo precisa ser conectado a um computador que processo os dados por um software e a ideia da equipe é introduzir este mecanismo dentro do aparelho, para torná-lo autônomo. Se conseguirem alcançar a meta estipulada para a competição, os desenvolvedores poderão aprender com profissionais e especialistas de marketing e negócios como tornar o projeto real – apresentando a investidores sociais num evento organizado pela instituição.

As doações podem ser feitas até o dia 15 de março e são limitadas por pessoa. Não é permitida a doação de grandes quantias e o dinheiro só será de fato doado se o projeto for selecionado. Quem quiser ajudar o projeto verde-amarelo deve fazer um cadastro no site oficial do Unreasonable Institute e fazer a doação. A segunda opção é via dinheiro no Pagseguro através do site do Identificador.