Pesquisadores desenvolvem novo teste para o diagnóstico da artrose

Tratamento para osteoartrite deve começar o mais cedo possível, evitando danos maiores a articulações e evitando perda de movimentos.

root

21 Abril 2010 | 23h23

Tratamento para a artrose deve começar o mais cedo possível, evitando dandos maiores a articulações e evitando a perda de movimentos.

Tratamento para a artrose deve começar o mais cedo possível, evitando danos maiores a articulações e evitando a perda de movimentos.

Pesquisadores da King’s College London, no Reino Unido, descobriram uma nova forma de medir metabólitos no sangue que permitem o diagnóstico precoce da artrose. Também chamada de osteoartrite, a doença é uma perturbação crônica das articulações pela degeneração da cartilagem ou osso.

“A artrose afeta cerca de 8,5 milhões de pessoas no Reino Unido e uma das principais características é o dano à cartilagem, músculo liso forte que alinha os ossos e permite que as articulações se movam com facilidade e sem atrito”, explica Guangju Zhai, principal autor do estudo. “Os dois novos biomarcadores metabólicos encontrados nesse estudo podem indicar o aumento da degeneração da cartilagem”.

O novo método testa 163 sinais químicos de uma única amostra de sangue ao mesmo tempo. Estes sinais são indicadores do metabolismo celular e os seus 26 mil índices metabólicos representam as reações químicas que ocorrem no corpo humano.

A equipe pretende estudar mais a fundo o mecanismo dos marcadores. “Esperamos que a nossa pesquisa leve à adoção desses dois índices metabólicos na prática clínica, permitindo que os médicos façam o diagnóstico da doença ou o seu desenvolvimento mais cedo”, diz Tim Spector, autor sênior do artigo. O pesquisador acredita que o método possa ser usado para monitorar a eficácia de tratamentos no futuro, já que atualmente a avaliação dependa de raios-x e exames similares.

Os pesquisadores chegaram aos índices metabólicos relacionados a artrose após o estudo de 123 mulheres com o problema no joelho e 299 saudáveis, comparando as diferenças de metabolismo. A partir disso, testaram os resultados em outro grupo.

Veja também:

Gel recupera cartilagem com ajuda de células-tronco do organismo
Inibidor de síntese de serotonina no intestino cura osteoporose em ratos
Proteínas podem ajudar em teste de urina para detecção de câncer nos rins
Exame de urina indica problemas renais em pacientes com lúpus