Identificada proteína que regula enzima associada ao Alzheimer

Altas concentrações da proteína GGA3 podem prevenir acúmulo de enzimas associadas à demência, abrindo o caminho para novos tratamentos.

root

25 Maio 2010 | 12h06

O Alzheimer é a forma mais comum de demência e afeta geralmente pessoas acima de 65 anos.

O Alzheimer é a forma mais comum de demência e afeta geralmente pessoas acima de 65 anos.

Pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Tufts, nos EUA, identificaram uma proteína que pode regular a progressão do Alzheimer. A equipe constatou que altas concentrações da GGA3 podem prevenir o acúmulo de enzimas associadas a este tipo de demência, abrindo o caminho para o desenvolvimento de novos tratamentos para doenças neurodegenerativas.

Pessoas com Alzheimer geralmente apresentam níveis altos de uma enzima conhecida como BACE1 no cérebro, que produz uma toxina que causa a degeneração cerebral. Os pesquisadores agora identificaram a proteína que induz a eliminação desta enzima, evitando danos ao órgão.

A equipe já havia observado que  a proteína GGA3 existe em concentrações menores em cérebros de pacientes com Alzheimer, mas os testes em laboratório mostraram que ela precisa se ligar com a proteína reguladora da ubiquitina para diminuir os níveis da enzima tóxica.

O mal de Alzheimer é uma das principais causas de demência no mundo, atingindo principalmente pessoas acima dos 65 anos de idade. Embora medicamentos atuais possam retardar a progressão da doença, nenhuma droga é eficaz o suficiente para parar a sua progressão. A descoberta pode conduzir a novas terapias de prevenção e tratamento.

Veja também:

Cafeína retarda danos do Alzheimer e restaura funções cognitivas
Pessoas com Alzheimer memorizam melhor mensagens cantadas
Tratamento de gamaglobulina pode conter avanço do Alzheimer
Série de programas “Cuidadores na Web” tira dúvidas sobre Alzheimer

Leia mais sobre: Alzheimer.