Pessoas com altos níveis de testosterona tendem a supervalorizar suas próprias opiniões

Pessoas com altos níveis de testosterona tendem a supervalorizar suas próprias opiniões

Da redação

31 Janeiro 2012 | 23h17

A testosterona pode até ajudar muitos marmanjos durante suas relações sexuais. Mas também pode fazer com que uma pessoa se torne mais egocêntrica. De acordo com um estudo realizado pela University College London, na Inglaterra, pessoas com níveis elevados do hormônio (é preciso lembrar que a testosterona existe tanto no homem quanto na mulher, embora em quantidades muito diferentes) tendem a supervalorizar suas próprias opiniões. Resultado: não cooperam o suficiente. Um artigo sobre o trabalho foi publicado no periódico científico Proceedings of the Royal Society.

A resolução de problemas em grupo é considerado um gatilho evolutivo para a história humana. Afinal, compartilhar informações e conhecimento pode evitar perdas desnecessárias na luta direta ou indireta pela sobrevivência. É por esse motivo que a oxitocina – o ‘hormônio do amor’, apelidado dessa forma por despertar a empatia de um ser pelo semelhante – sempre foi estudada, especialmente em populações de animais que se apóiam na coletividade. Enquanto ela age favorecendo a cooperação, a testosterona atua despertando o efeito inverso.

“Quando tomamos decisões em grupo, pisamos em uma linha tênue entre cooperação e interesse individual”, explica Nick Wright, responsável pela pesquisa. “Se houver muita cooperação, talvez nunca consigamos encontrar o nosso caminho, mas se formos demasiadamente orientados para nós mesmos, estaremos propensos a ignorar outras pessoas que têm boas ideias”.

O estudo pode ser especialmente útil na avaliação do comportamento de certos grupos sociais. Sabe-se, por exemplo, que o nível de testosterona em prisioneiros é elevado antes de uma briga, e que o hormônio pode responder por muitos comportamentos anti-sociais observados inclusive no ambiente de trabalho. Mas a postura influenciada pela testosterona pode ser extremamente relevante se levarmos em conta um juri, por exemplo. Nesse caso, cooperação é a palavra de ordem. E o egocentrismo pode cegar o indivíduo para a realidade.