Para eles, mulheres que falam alto tendem a ser menos confiáveis

Por outro lado, homens que falam baixo tendem a ser considerados mais propícios à infidelidade.

root

04 Março 2011 | 20h56

Na hora de escolher um parceiro, mulheres tendem a considerar homens que falam baixo menos confiáveis. Homens, por outro lado, pensam que mulheres que falam alto tendem a ser mais infiéis. É o que mostra um estudo realizado pela Universidade McMaster, publicado na última edição da revista online Evolutionary Psychology.

O estudo é o primeiro a examinar a associação entre o tom da voz e a percepção de infidelidade, oferecendo insights a respeito da evolução da voz humana e sobre como nós escolhemos nossos companheiros.

“Em termos de estratégia sexual, descobrimos que homens e mulheres usarão o tom de voz como um sinal de alerta de traição futura. Assim, quanto mais atraente for a voz – um tom mais alto para mulheres e menor para os homens -, mais provável as chances que ele ou ela irá enganar”, explica Jillian O’Connor, estudante de pós-graduação do departamento de psicologia, neurociência e comportamento da universidade, principal autor do estudo.

“A infidelidade é cara, em termos de impacto emocional, custos financeiros, e perda potencial da unidade familiar”, explica Jillian. “Mas, isto sugere que ao longo do processo evolutivo temos aprendido maneiras de evitar parceiros que possam ser infiéis, como um mecanismo de proteção”.

Os participantes do estudo foram convidados a ouvir duas versões de gravações feitas com uma voz masculina e uma voz feminina, que foram manipuladas eletronicamente para assumirem um volume mais alto ou mais baixo. Então, tiveram que respondem qual tinha mais probabilidade de trair.

De acordo com os pesquisadores, isso teria uma explicação biológica: homens com maiores níveis de testosterona têm vozes graves, e as mulheres com níveis mais altos de estrogênio têm voz mais aguda. Altos níveis destes hormônios estão associados ao comportamento adúltero e, conforme mostram as pesquisas, as pessoas são pouco conscientes desta relação, mas podem usá-la na busca por um parceiro.