Rato africano regenera tecidos quase tão bem quanto as salamandras

Rato africano regenera tecidos quase tão bem quanto as salamandras

Da redação

26 Setembro 2012 | 20h58

Até agora, a incrível capacidade de regenerar membros só tinha sido observada em anfíbios, insetos, répteis e crustáceos. Mas pesquisadores da Universidade da Flórida, nos EUA, afirmam que um pequeno mamífero, um ratinho africano, também pode recuperar tecidos danificados de forma surpreendente: partes ‘perdidas’ de suas orelhas, incluindo a cartilagem, ressurgem – e não apenas como ocorre quando a cicatriz preenche o vazio criado por uma ferida. Um artigo sobre o assunto foi publicado na Nature.

O processo parece ser uma resposta à autotomia, capacidade  de abandonar uma parte estratégica do corpo diante de uma ameaça (quem foi criança lembra bem do espanto ao ver uma lagartixa perder o rabo!), mecanismo de defesa também muito raro em mamíferos. Ao ser encurralado, o Acomys kempi (Foto: Universidade da Califórnia/Ashley Seifert) pode soltar até 60% de sua pele para escapar do predador. E, diferente de outros ratos que apresentam tecido cicatricial no local da lesão, a espécie recupera até folículos pilosos (ou capilares).

Veja também:

Produção de novas células está intimamente relacionada com a memória
Conexões nervosas de ratos são regeneradas após lesão na medula
Célula é reprogramada para virar célula muscular do coração diretamente

Mais conteúdo sobre:

Acomys KempiRegeneração