Relações melhoram com a idade por causa do "perdão" dos outros

Além disso, pessoas mais velhas tendem a ser mais cordiais com as mais novas, supondo uma relação de conflito.

root

25 Junho 2010 | 14h45

Adultos mais velhos tendem a ser mais cordiais com os mais novos, supondo que a relação pode ser de conflito. Ao mesmo tempo os jovens podem estar em conformidade com os estereótipos da idade, que ditam que se deve ser ter mais paciência com uma pessoa mais velha.

Adultos mais velhos tendem a ser mais cordiais com os mais novos, supondo que a relação pode ser de conflito. Ao mesmo tempo os jovens podem estar em conformidade com os estereótipos da idade, que ditam que se deve ser ter mais paciência com uma pessoa mais velha.

Por que pessoas mais velhas têm relações mais felizes? De acordo com um estudo da Universidade Purdue, nos EUA, a explicação está no respeito aos mais velhos e à tendência ao perdão dos demais. A morte mais próxima também pode fazer com que as pessoas reconsiderem certas situações, agindo de forma menos agressiva.

“Os adultos mais velhos relatam casamentos melhores, amizades mais favoráveis e menos conflitos com filhos e irmãos”, diz Karen Fingerman, professor de Gerontologia, Desenvolvimento e Estudos da Família. “Enquanto o declínio das capacidades físicas aparece com a idade, as relações melhoram. Então o que há de tão especial na velhice? Descobrimos que todos acabam envolvidos na percepção de tempo limitado, disposição para perdoar, os estereótipos do envelhecimento e atitudes de respeito”.

De acordo com os pesquisadores, não se trata apenas de “fazer a sua parte” em relação aos mais velhos. É, sobretudo, a forma como as pessoas interagem. “Cada pessoas está agindo e reagindo ao seu parceiro ou parceira e, neste caso, cada parceiro a movimento da outra pessoa, e a determinação é sempre baseada na idade”, ressalta Karen. “As pessoas variam seu comportamento com os parceiros sociais em função da idade. Quando há uma interferência negativa, os jovens são geralmente mais agressivos e conflituosos do que os mais velhos”. Em uma interação negativa, no entanto, o jovem é mais propício a se acomodar.


Adultos mais velhos tendem a ser mais cordiais com os mais novos, supondo que a relação possa ser de conflito. Ao mesmo tempo os jovens podem estar em conformidade com os estereótipos da idade, que ditam que se deve ser ter mais paciência com uma pessoa mais velha – já que, acredita-se, é difícil mudar velhos hábitos.

Com a idade, também, os indivíduos tendem a perceber melhor e regular emoções. Além disso, pessoas mais velhas têm uma vantagem: geralmente têm a oportunidade de escolher com quem eles irão se relacionar, porque são aposentados e não precisam mais trabalhar.

O estudo comparou adultos jovens, com idades entre 22 e 35 anos, com adultos mais velhos, entre 65 e 77 anos. Os participantes escutaram uma história sobre como um adulto cometeu uma transgressão social – sendo rude com uma garçonete ou ignorando limites de propriedade. Quando o indivíduo transgressor era identificado como uma pessoa mais velha, participantes de todas as idades se mostraram menos agressivos, evitando um conflito. No caso do transgressor ser um jovem, a maioria defendeu reação.

Veja também:

Diferença de idade do casal reduz expectativa de vida das mulheres
Idade subjetiva afeta mais habilidade cognitiva do que idade cronológica
Estudo com centenários mostra que perspectiva feliz prolonga a vida
Leve a sério: a sua felicidade realmente depende da dos outros