Sonda mostra diferenças de densidade na atmosfera de Vênus

As medições realizadas pela sonda mostraram que a alta atmosfera acima dos polos é surpreendentemente mais fina do que o esperado.

taniager

07 Outubro 2010 | 12h42

Medições do arraste atmosférico da Venus Express. Crédito: ESA.

Medições do arraste atmosférico da Venus Express. Crédito: ESA.

A atmosfera polar de Vênus é mais fina do que o esperado. A afirmação é resultado da observação da sonda Venus Express da ESA (Agência Espacial Europeia) que viajou através da atmosfera superior venenosa do planeta.

A sonda mergulhou na atmosfera alienígena durante uma série de passagens a altitudes mais baixas entre julho e agosto de 2008, março de 2009 e fevereiro e abril de 2010. A meta era medir a densidade da atmosfera superior polar, uma experiência que nunca tinha sido tentada antes em Vênus.  

As 10 medições realizadas pela sonda mostraram que a alta atmosfera acima dos polos é surpreendentemente 60% mais fina do que o esperado. Isso pode indicar que processos naturais imprevistos estão em trabalho na atmosfera. Uma equipe liderada por Ingo Mueller-Wodarg do Imperial College de Londres, está agora investigando estes processos.

A densidade é uma informação crítica para os controladores da missão, que estão investigando a possibilidade de dirigir a sonda para mais baixo ainda da atmosfera, que para tanto é preciso alterar sua órbita e ampliar a vida útil da missão.

“Seria perigoso enviar a sonda para uma profundidade maior na atmosfera venusiana antes de entendemos a densidade,” diz o membro da equipe Pascal Rosenblatt do Observatório Real da Bélgica.

O fato de a Venus Express poder fazer medições de tudo é notável. A sonda espacial não foi projetada para este fim e assim não tem instrumentos capazes de amostragens diretamente na atmosfera. Em vez disso, as estações de controle na Terra acompanham ao deslocamento da sonda ao mergulhar na atmosfera e seu desaceleramento pela resistência venusiana equivalente a do ar na Terra.

Além disso, os operadores da ESA em Darmstadt, Alemanha, ligaram uma asa solar lateral e a outra face para que esta resistência pudesse girar a nave espacial.

Atmosfera de Vênus se estende desde a superfície até uma altitude de cerca de 250 km. Em abril, a Venus Express observou a atmosfera que está na altura de 175 km acima da superfície planetária.

Assim como a surpreendentemente baixa densidade geral, o giro da nave em trono de Vênus registrou também uma diferença forte de densidade entre os lados do dia e da noite do planeta. Na próxima semana, Venus Express irá mergulhar novamente, desta vez a 165 km.

Estas medidas podem ser usadas eventualmente para ajudar a fazer alterações na órbita da sonda, reduzir para a metade o tempo que demora ao circular o planeta e novas oportunidades para medições científicas adicionais.