Sulfeto de hidrogênio pode proteger articulações contra inflamações

Sulfeto de hidrogênio (H2S), responsável por aquele cheiro desagradável no “ovo podre”, desempenha papel importante na redução da inflamação.

root

20 Agosto 2010 | 14h49

Raio x de um joelho. Crédito: Wikipedia.

Raio x de um joelho. Crédito: Wikipedia.

O sulfeto de hidrogênio (H2S), responsável por aquele cheiro desagradável no “ovo podre”, protege as suas articulações. De acordo com uma pesquisa realizada pela Peninsula Medical School da Universidade de Exeter & Playmouth, no Reino Unido, o gás está presente naturalmente em nossos corpos – especificamente no líquido sinovial do joelho, reduzindo o atrito entre cartilagem e articulações durante movimentos. Ele pode desempenhar um papel importante da redução da inflamação nas articulações. 

O trabalho comparou a presença de sulfeto de hidrogênio em amostras de sangue e de líquido sinovial das articulações do joelho de pacientes com artrite reumatoide, osteoartrite e em indivíduos saudáveis. Pessoas com artrite reumatoide tinham níveis mais altos de H2S no líquido sinovial em comparação ao grupo de controle, e concentrações até quatro vezes mais altas no sangue. 

Níveis mais altos de sulfeto de hidrogênio foram associados à doença, reduzindo a contagem de células inflamatórias. Isso sugere que o H2S pode ser um mediador produzido pelo corpo para controlar a inflamação. Os resultados abrem as portas para estudos mais aprofundados sobre o uso terapêutico em pacientes com doenças inflamatórias crônicas. 

“As doenças inflamatórias crônicas, pela natureza muito debilitante, e atuais intervenções farmacêuticas ocasionalmente podem agravar o desconforto dos pacientes”, explica Matt Whiteman, responsável pelo estudo. “Fármacos tradicional anti-inflamatórios são muito potentes e seguros, mas por vezes podem danificar o revestimento do estômago em algumas pessoas, levando a complicações posteriores”. Terapias com sulfeto de hidrogênio parecem ser promissoras, já que indicam os mesmos benefícios de anti-inflamatórios convencionais, sem efeitos colaterais. 

“Estamos apenas começando a desvendar o que o H2S faz no corpo, e como manipulá-lo”, ressalta Whiteman. “Já que o H2S é produzido naturalmente no nosso organismo por enzimas que utilizam predominantemente aminoácidos contendo enxofre, como a cisteína, metionina e hemocisteína, é possível manipular a atividade dessas enzimas para aumentar suas atividades, possivelmente por meio de dieta, para impulsionar a capacidade do corpo em tratar a inflamação e o dano tecidual”.

Veja também:

Gel recupera cartilagem com ajuda de células-tronco do organismo
Inibidor de síntese de serotonina no intestino cura osteoporose em roedores
Encontradas pistas de como macrófagos podem causar inflamações
Pesquisadores desenvolvem novo teste para o diagnóstico da artrose