Embrião é criado com material genético de um homem e duas mulheres

Procedimento - pela primeira vez realizado no mundo - pode ajudar na prevenção de doenças hereditárias em que o DNA mitocondrial é defeituoso.

root

15 Abril 2010 | 14h31

As mitocôndrias fornecem a energia necessária para as células do nosso corpo.

As mitocôndrias fornecem a energia necessária para as células do nosso corpo.As mitocôndrias fornecem a energia necessária para as células do nosso corpo.As mitocôndrias fornecem a energia necessária para as células do nosso corpo.

Cientistas da Universidade de Newcastle, no Reino Unido, desenvolveram uma técnica pioneira que permite transferir pela primeira vez o DNA entre dois óvulos humanos e criar um embrião com material genético de um homem e duas mulheres. O procedimento – realizado pela primeira vez no mundo – poderia ajudar na prevenção de doenças graves hereditárias em que o DNA mitocondrial (passado de mãe para filho) é defeituoso.  

Cada célula do nosso corpo precisa de energia fornecida pela mitocôndria para funcionar. Caso o DNA na mitocôndria sofra uma mutação, e seja passada adiante, pode ocasionar o nascimento de crianças com insuficiência cardíaca ou hepática, fraqueza muscular, diabetes, cegueira e dificuldade de aprendizagem. Na infância, pode levar à morte. Com a nova técnica, no entanto, a “bateria celular”, como também é chamada a mitocôndria, pode ser substituída por outra saudável antes do nascimento.

É a primeira vez que uma técnica do tipo foi usada em fertilização de óvulos humanos. Um óvulo fertilizado geralmente contém dois pronúcleos – material genético do óvulo e do espermatozoide -, assim como as mitocôndrias. O procedimento desenvolvido pela equipe de Newcastle envolveu a remoção do pronúcleo, deixando a mitocôndria. Os pesquisadores então pegaram um óvulo fertilizado de um doador, removeram seu pronúcleo e substituíram por pronúcleos extraídos. Esse novo ovo fertilizado contém o DNA do pai e da mãe, e as mitocôndrias do doador.


“O que fizemos foi quase a mesma coisa que trocar a bateria de um laptop”, exploca Doug Turnbull, um dos autores do artigo publicado na Nature. “O fornecimento de energia funciona agora corretamente, mas nenhuma das informações do disco rígido foi alterada”. Significa que é possível fazer uma criança nascer pelo método, respeitando a informação genética que vem do pai e da mãe.

Um óvulo contém uma cópia de seu próprio DNA – 23 cromossomos – bem como para o seu DNA mitocondrial. A qualidade do material genético contido no DNA mitocondrial é muito pequena (13 genes que produzem proteínas, em comparação a cerca de 23 mil genes que herdamos de nossos pais) e essa informação é usada apenas para gerar a energia produzida pelas “baterias”.