Tempestade violenta e rara atinge o hemisfério norte de Saturno

Sonda Cassini e telescópio terrestre acompanham crescimento antecipado de distúrbio gigante na atmosfera
do planeta.

root

19 Maio 2011 | 17h13

A nave espacial Cassini e o telescópio terrestre do European Southern Observatory no Chile acompanharam o crescimento de uma antecipada tempestade gigante de primavera no hemisfério norte de Saturno – tão poderosa que abarca todo o planeta. O fenômeno, raro, está causando estragos há meses ao atirar jatos de gás dentro da atmosfera do planeta.

Em dezembro de 2010 o evento já podia ser constatado até mesmo por astrônomos amadores. Contudo, tornou-se agora uma tempestade poderosa, de extensão semelhante talvez à da Grande Mancha Vermelha de Júpiter. Efeitos dramáticos podem ser observados na alta estratosfera, normalmente estável, gerando regiões de ar quente que brilham.

“Nada na Terra se aproxima desta poderosa tempestade”, diz Leigh Fletcher, autor do estudo e um dos cientistas da equipe Cassini, na Universidade de Oxford, no Reino Unido. “Uma tempestade como esta é rara. Esta é apenas a sexta registrada desde 1876, sendo a última registrada em 1990”.

Esta é também a primeira grande tempestade em Saturno observada por uma nave espacial em órbita, que permitiu estudar o infravermelho termal – revelando as temperaturas atmosféricas, ventos e composição dentro do distúrbio. A violência da tempestada, a maior já detectada na estratosfera de Saturno, surpreendeu os pesquisadores.

“Na Terra, a baixa estratosfera é onde aviões comerciais voam geralmente para evitar as tempestades que podem causar turbulências”, explica Brigette Hesman, cientista da Universidade de Maryland em College Park, segunda autora do artigo. “Se você estivesse voando em um avião em Saturno, esta tempestade atingiria tanta coisa que é provável que fosse impossível evitá-la”.