Moléculas são associadas a gene supressor desativado no mieloma

Descoberta pode oferecer uma nova estratégia de tratamento para esta doença e outros tipos de câncer de sangue.

root

27 Outubro 2010 | 14h23

Aspiração de líquido da medula óssea revela presença de mieloma múltiplo. Crédito: Wikipedia.

Aspiração de líquido da medula óssea revela presença de mieloma múltiplo. Crédito: Wikipedia.

Uma nova pesquisa conduzida pela Universidade de Ohio, nos EUA, associa três moléculas a um gene supressor de tumores crucial que é geralmente desativado no mieloma múltiplo. A descoberta pode oferecer uma nova estratégia de tratamento para este e outros tipos de câncer de sangue.

As moléculas silenciadas são chamadas de miR-192, miR-194 e miR-215. Todas são microRNAs, uma vasta classe de moléculas que atuam como regulares mestres de muitos processos celulares importantes.

O estudo sugere que a reativação destas três moléculas provoca a expressão do gene supressor de tumor p53. Este, por sua vez, retarda o crescimento e conduz a morte das células do mieloma, podendo fornecer uma nova abordagem para o tratamento da doença.

“Estes resultados fornecem uma base racional para a futura exploração destes microRNAs como um tratamento para o mieloma múltiplo, que tem poucas opções terapêuticas”, diz Carlo Croce, principal pesquisador do estudo.

O mieloma múltiplo é um distúrbio de células brancas do sangue chamadas de células plasmáticas. A doença começa como uma condição benigna chamada gamopatia monoclonal de significado indeterminado. Nesta fase, indivíduos podem viver durante muitos anos sem tratamento. Por razões ainda desconhecidas, o problema evolui para o mieloma múltiplo.